Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Madaíl diz que concluirá processos em mês e meio

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol diz que processos do Apito Dourado estarão decididos "dentro de um mês a um mês e meio".

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madaíl, afirmou hoje que "dentro de um mês a um mês e meio" processos relativos ao processo Apito Dourado estarão "decididos".

"Dentro de um mês a um mês e meio teremos processos decididos no âmbito do processo Apito Dourado. A FPF tem muitos processos abertos sobre esta matéria, mas não tem os meios que tem a Justiça Civil", disse Gilberto Madaíl, reagindo a críticas feitas hoje pelo presidente do Benfica.

Luís Filipe Vieira criticou hoje, durante a Gala do 104º aniversário do clube, realizada no Casino Estoril, a ausência de "uma intervenção de fundo por parte do Governo" no processo Apito Dourado.

"Relativamente à corrupção e ao tráfico de influências, permitam-me que seja claro: quatro anos após o início do Apito Dourado, com tudo o que já foi ouvido, lido e testemunhado, é uma vergonha para o país e para os principais organismos ligados ao Desporto e ao futebol, que os principais implicados continuem em funções sem qualquer restrição de movimentos", denunciou Luís Filipe Vieira, acusando o governo e a Federação de nada fazerem para acelerar o processo.

Para o líder federativo, o Benfica, como sócio da FPF por via indirecta, "tem toda a autoridade para responsabilizar", mas lembrou que em Itália "houve uma reacção rápida, porque havia um tribunal desportivo que também decidiu rapidamente".

"Por isso, a criação do Tribunal Arbitral do Desporto é muito importante. A justiça desportiva não tem a capacidade da Justiça Civil", frisou Gilberto Madaíl.

O dirigente sublinhou que situações como a corrupção e o tráfico de influências o preocupam e defendeu a transparência, mas foi directo na sua resposta: "O que houve até agora do Apito Dourado na Justiça Civil? Quando existirem decisões, a justiça desportiva tem que actuar automaticamente".

O dirigente referiu-se ainda à ideia que lançou sobre uma possível candidatura de Portugal ao Mundial2018, frisando: "Portugal tem condições para apresentar uma candidatura concreta e, com Espanha, estes argumentos serão reforçados".

Gilberto Madaíl foi ainda confrontado com um possível regresso de Luís Figo à selecção nacional.

"O Figo é espectacular e gostava que regressasse à selecção. A FPF já fez o que tinha a fazer a esse respeito", disse Gilberto Madaíl, sem especificar o que fez a federação nesse sentido, adiantando ainda que Luís Figo "daria um bom presidente" da FPF.