Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Jovem volta a ser impedida de frequentar aulas por usar véu islâmico

Escola espanhola alterou o regulamento para impedir a presença de uma jovem de 16 anos, que já tinha abandonado um outro estabelecimento de ensino por usar o véu islâmico.

Um segundo instituto de Pozuelo de Alarcón, em Espanha, alterou o regulamento para impedir a presença de uma jovem de 16 anos, que já abandonou uma escola por usar o véu islâmico. 

De acordo com a edição online do diário "El País", o conselho pedagógico do Instituto San Juan de la Cruz votou esta tarde a modificação do seu regulamento para proibir que as jovens assistam às aulas com a cabeça coberta, uma medida até agora inexistente. 

O Ministério da Educação espanhol propôs que a jovem passe a frequentar um terceiro centro, o Gerardo Diego, cujo regulamento permite o uso do véu islâmico, alegando que esse é o centro mais próximo e que melhor se adequa aos desejos da sua família. 

Ministério quer evitar alterações de última hora

Najwa Malha, a jovem de 16 anos, vai passar a frequentar a escola Gerardo Diego a partir de terça feira. 

Para impedir que as escolas alterem os seus regulamentos à última hora, o Ministério espanhol pretende aprovar uma resolução para que, a partir do próximo ano letivo, os regulamentos das instituições de ensino não possam ser modificadas durante o período escolar. 

O assunto tem gerado forte polémica em Espanha, com várias alunas a solidarizarem-se e a apresentarem-se também com véus, além de vários debates televisivos. 

O caso remonta a fevereiro, quando Najwa decidiu começar a usar o véu, explicando que o fez por decisão própria. A escola proibiu-a e afastou-a das aulas por duas semanas. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.