Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Call center reabre depois dos despedimentos

  • 333

O centro de atendimento telefónico da Segurança Social em Castelo Branco volta a estar ativo esta semana, agora com apenas 50 trabalhadores e com salários mais baixos.

O centro de atendimento telefónico da Segurança Social de Castelo Branco vai voltar a funcionar esta semana com 50 posições, disse à agência Lusa fonte do Instituto da Segurança Social (ISS).

O Governo decidiu encerrar o centro no final de junho - o que levou ao despedimento de 400 trabalhadores -, considerando que o modelo de funcionamento "era insustentável financeiramente", como referiu na ocasião o ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares.

Entretanto, o atendimento telefónico foi redistribuído por funcionários da Segurança Social noutros pontos do país, ao mesmo tempo que era anunciado que o centro reabriria em meados de julho, apenas com 50 trabalhadores, e seria entregue a uma empresa durante quatro meses, até estar concluído o concurso público internacional para novo período de concessão, que prevê uma redução de custos.

Fonte do ISS disse à Lusa que o processo burocrático para esta concessão intermédia foi concluído e os operadores iniciam funções esta semana. São cerca de meia centena de pessoas que haviam sido contratadas com apoios do Estado na anterior fase de funcionamento do centro de atendimento e aos quais "foi proposta a rescisão por mútuo acordo, sem direito a desemprego, para agora serem contratados até dezembro", referiu fonte ligada ao processo.

A mesma fonte adiantou que estes trabalhadores vão receber menos do que recebiam antes, sendo que "o salário base baixa de 520 para 500 euros e o subsídio de alimentação desce de seis para 4,27 euros". Estas 50 pessoas estiveram já a receber formação na segunda-feira e hoje.

Entretanto, os 231 ex-trabalhadores efetivos, englobados num processo de despedimento coletivo, já receberam as cartas com a indicação dos valores das indemnizações.

O vínculo à entidade patronal (a empresa de recursos humanos RHmais) termina a 15 de agosto e a partir daquela data têm acesso ao subsídio de desemprego.