Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Hugo Chávez só terá dois anos de vida

Presidente venezuelano "tem um tumor muito agressivo na zona pélvica e a sua expectativa de vida é de até dois anos", diz o seu ex-médico.

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

Hugo Chávez, que ontem embarcou para Cuba para ali ser examinado e submetido a novos tratamentos cancerígenos, poderá já não ter muitos anos de vida. Quem o assegura é um dos três médicos que cuidou da saúde do Presidente venezuelano no Palácio de Miraflores antes lhe ter sido diagnosticado um cancro. 

"Quando digo que a previsão não é boa, significa que a expectativa de vida pode ser de até dois anos. Isto explica a decisão de (Hugo Chávez) antecipar as eleições", afirmou Salvador Navarrete. 

Em entrevista à revista mexicana "Milenio", Navarrrete disse ter sido informado pela família de Hugo Chávez de que "ele tem um sarcoma, um tumor de prognóstico muito ruim, e estou quase certo de que é verdade".

Confiança cega nos médicos cubanos

O médico explicou a razão que levou o Presidente da Venezuela a optar pelos tratamentos médicos em Cuba: "Na Venezuela, o Presidente Chávez não confia em ninguém. Só confia nos cubanos. Passou a ser assim desde a tentativa de golpe de Estado".

Depois de ter sido submetido a quatro sessões de quimioterapia, Hugo Chávez fará esta semana novos exames médicos em Cuba.

O Presidente da Venezuela tenta passar outra imagem, a de que está a vencer a doença e pronto para voltar em força ao trabalho. "Quero dirigir-me à nação para informar a respeito de nossa viagem, agora mesmo, a Havana, para continuar o processo (de tratamento ) iniciado há quatro meses", disse Chávez ontem à noit,e no aerporto de Maiquetía, antes de embarcar para Cuba, acompanhado por uma das suas filhas e na presença de vários ministros.

Em busca da reeleição

Apesar de ter sido obrigado, por questões de saúde, a reduzir as suas aparições públicas, o Presidente venezuelano assegura que dentro em breve retomará o seu ritmo habitual de trabalho com o início da campanha para uma nova reeleição em outubro de 2012.   

De acordo com o seu porta-voz, os últimos exames de sangue e tomografias "indicam que não há presença de células malignas, e que o tumor, que estava isolado, foi totalmente eliminado.

Desde junho, quando assumiu publicamente que tem um cancro, a popularidade do Presidente venezuelano deu um salto de dez pontos, subindo para os 60%, de acordo com a maioria dos institutos de pesquisa.