Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Governo encontra salários "chocantes" em fundações

  • 333

Conclusões do censo obrigatório a centenas de fundações revelam, segundo o Governo, que há gastos excessivos com o pessoal na maior parte delas. 

Algumas administrações de Fundações recebem "remunerações chocantes", segundo o Governo que apresentou na quarta-feira o relatório de avaliação, que conclui também que as despesas com pessoal representam mais de metade dos gastos da maioria (53 por cento) das Fundações.

"Encontrámos remunerações chocantes em algumas Fundações. Estamos agora a ponderar se faz algum sentido manter apoios estatais a essas fundações privadas que oferecem elevados salários às suas administrações", afirmou à Lusa fonte do Governo.

No início do ano, as fundações foram sujeitas a um censo obrigatório, cujas primeiras conclusões foram hoje conhecidas, mas só daqui a um mês serão aprovadas as que mentêm apoio ou as que serão extintas.

Trezentas e setenta fundações avaliadas tinham 1896 membros na administração e em metade das Fundações IPSS (de solidariedade social) as administrações eram compostas por cinco a dez elementos.

As fundações registam ainda um total de 34.367 colaboradores, dos quais quase 25 mil afetos a fundações não IPSS, mas mais de metade do total de colaboradores das fundações não IPSS estão nas fundações de direito privado.