Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Governo belga demitiu-se

O governo belga dirigido por Yves Leterme apresentou a sua demissão, no seguimento de um conflito linguístico entre francófonos e flamengos.

O governo belga dirigido por Yves Leterme decidiu hoje apresentar a sua demissão, no seguimento de um conflito linguístico entre francófonos e flamengos, anunciaram media belgas. A queda do governo foi motivada pela decisão dos liberais flamengos do Open VLD de abandonar a coligação governamental e mergulha a Bélgica numa nova crise política, a pouco mais de dois meses de o país assumir a presidência rotativa da União Europeia, a 01 de julho. A decisão foi tomada num conselho de ministros convocado de urgência por Leterme, que ainda hoje deverá deslocar-se à residência oficial do rei Alberto II para oficializar a demissão. Em declarações à imprensa, o ministro das Finanças, Didier Reynder, disse que "não havia outra saída senão a demissão do governo", depois do abandono dos liberais flamengos do VLD, um dos dois partidos da Flandres que integram o gabinete, numa coligação que inclui ainda três partidos da Valónia. O VLD anunciara a sua decisão pouco antes, concretizando a ameaça feita na véspera, de que abandonaria o executivo se até hoje não se registasse sucesso nas "eternas" negociações para encontrar um compromisso sobre a região Bruxelas-Halle-Vilvoorde (BHV), onde os francófonos gozam de alguns direitos políticos, contestados pelos flamengos. "O Open VLD perdeu a confiança neste governo", declarara à imprensa o presidente do partido, Alexander de Croo, à saída de uma reunião partidária.     *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.