Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Ferreira Leite viu cartaz do Pinóquio tarde demais

O cartaz da campanha da JSD

Manuela Ferreira Leite só soube da campanha da JSD que compara Sócrates ao Pinóquio quando o cartaz já estava no site do Expresso e, no dia seguinte, na edição impressa.

A direcção da JSD foi à sede nacional do partido mostrar a Manuela Ferreira Leite o cartaz que compara o primeiro-ministro ao Pinóquio depois de o ter facultado ao Expresso. A líder social-democrata não se demarcou da campanha, o que a deixou no meio de uma saraivada de críticas dentro e fora do seu partido.

Quando viu o cartaz, Manuela não o contestou mas mesmo que o quisesse fazer seria tarde demais. Pedro Rodrigues, o líder da "Jota", deu luz verde à campanha contra José Sócrates sem consultar previamente a direcção do partido e a direcção da JSD assume que não tinha que o fazer por ser uma estrttura autónoma dentro do PSD.

"Fomos à sede nacional mostrar o cartaz por uma questão de deferência pela líder", afirma um dirigente da Juventude, confirmando que a visita à São Caetano foi posterior ao envio do cartaz para a imprensa.

Ferreira Leite foi severamente criticada por Marcelo Rebelo de Sousa, do seu partido, que a acusou de estar a dar argumentos a Sócrates para a ligar à "campanha negra" de que se diz vítima. Foi isso mesmo que o primeiro-ministro fez esta semana no debate mensal com a oposição no Parlamento, em que acusou o PSD de estar a alinhar na campanha de "destruição pessoal" contra si.

O cartaz em causa compara Sócrates a Pinóquio e lembra as promessas não cumpridas de criação de emprego. Com o Freeport ao rubro, esta campanha da JSD foi, no entanto, rapidamente associada pelo PS, ao caso Freeport como se o PSD - cuja líder se recusou a cavalgar politicamente o assunto, dizendo que ele pertence ao domínio exclusivo da Justiça -,  estivesse indirectamente a chamar mentiroso ao PM também a propósito do polémico processo.