Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Espera nas urgências chega às 12 horas

As urgências hospitalares estão mais cheias do que é costume nesta época do ano. No Amadora-Sintra, a espera chega às 12 horas.

As urgências hospitalares estão a registar uma afluência muito elevada, com o Hospital Amadora-Sintra a registar um tempo de espera de 12 horas para os casos urgentes e muito urgentes e a prever que os menos graves só sejam atendidos sábado.

De acordo com o director clínico do Hospital Amadora-Sintra, Luís Cunã, a afluência ao serviço de urgência desta unidade de saúde está a ser "anormalmente elevada" para a época e para as capacidades da instituição.

O médico revelou que os casos urgentes e muito urgentes estão a registar um tempo médio de espera para serem atendidos na ordem das 12 horas.

Os outros casos menos graves, que são a maioria dos utentes que estão a ocorrer a este serviço, nem sequer têm data prevista para o atendimento, sendo seguramente a partir de sábado.

Casos "não urgentes" enchem Amadora-Sintra

Luís Cunã está preocupado com a situação, principalmente com os casos "não urgentes" que não param de chegar a este hospital que atende uma população na ordem dos 700 mil habitantes.

Para esta tão elevada procura, estão actualmente a trabalhar 12 profissionais, dos quais oito médicos. Para o horário nocturno, é previsível que o número de profissionais diminua.

Os casos que afluem à urgência do Amadora-Sintra são essencialmente do foro respiratório, "das situações graves às simples constipações".

Os profissionais estão a tentar responder aos casos mais graves, nomeadamente do foro cardíaco e pulmonar, bem como faltas de ar documentadas, segundo o director-clínico da instituição.

No Hospital São José, em Lisboa, a urgência também regista uma forte procura. A Lusa apurou junto deste hospital que, às 20:00, os casos menos urgentes tinham de esperar oito horas e 59 minutos para serem atendidos.

A espera dos casos urgentes situava-se nas cinco horas e quatro minutos e os muito urgentes 19 minutos.

Privado com tempo de espera

No Hospital Santa Maria, os casos pouco urgentes tinham, às 20:00, quase cinco horas de tempo de espera para serem atendidos e os urgentes três horas e meia. Os muito urgentes têm um tempo de espera de duas horas e seis minutos, segundo dados recolhidos às 20:00.

Também em Lisboa, o Hospital da Luz (privado) registava, às 20:00, um tempo de espera de cerca de duas horas e meia para atendimento na urgência de adultos e igual tempo na urgência pediátrica.