Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Comboios totalmente parados em todo o país

  • 333

Comboios da CP em todo o país estão parados devido à greve convocada pelo Sindicato Nacional de Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses.

Os comboios estão hoje totalmente parados em todo o país devido à greve dos maquinistas e revisores, disse à Lusa fonte da CP, que espera que a circulação regresse à normalidade na segunda-feira de manhã.

"Houve apenas a realização de dois comboios poucos minutos depois da meia-noite. A partir daí não houve mais nenhum comboio a circular e não se prevê que vá existir algum até ao final do dia", disse à agência Lusa a porta-voz da CP, Ana Portela.

A paralisação dos comboios este domingo, feriado do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, repete o cenário de quinta-feira (7 de junho), feriado religioso do Corpo de Deus.

A CP espera que a situação esteja regularizada "nas primeiras horas da manhã" de segunda-feira, "à semelhança do que aconteceu na sexta-feira passada", acrescentou Ana Portela.

Greve "contra a perseguição disciplinar dos trabalhadores da tração"

O Sindicato Nacional de Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses (SMAQ) apresentou um pré-aviso de greve ao trabalho extraordinário e aos feriados entre 1 e 30 de junho, não tendo sido definidos serviços mínimos para o transporte de passageiros.

O sindicato avançou para a greve "contra a perseguição disciplinar dos trabalhadores da tração [maquinistas] desencadeada pelos conselhos de administração da CP EPE/CP Carga", as "medidas das administrações da CP/CP Carga, que visam reduzir os salários dos trabalhadores" e para reivindicar o "cumprimento integral dos acordos em vigor, designadamente de 21 de abril e 09 de junho de 2011".

Na semana passada, o Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial e Itinerante (SFRCI), que representa os revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP, avançou também para uma greve "a todos os feriados, nacionais e municipais, e ao trabalho extraordinário a partir de 07 de junho [quinta-feira], por tempo indeterminado".

O SFRCI contesta o facto de a CP estar a adotar "medidas mais penalizadoras, que estão a levar ao desespero os trabalhadores e as suas famílias".

A greve dos maquinistas e revisores terá ainda efeitos nos feriados municipais de 13 de junho, em Lisboa, 24 de junho, no Porto, e 28 de junho, no Barreiro.