Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

"Cinco erros crassos que estão a destruir o emprego em Portugal"

  • 333

PS aponta "cinco erros crassos" do Governo, cujas "políticas erradas" levaram o país a atingir números de desemprego recorde.

O PS acusou hoje o Governo de "inação" em relação ao desemprego e exige medidas imediatas para responder aos números recorde de portugueses sem trabalho, considerando que resultam de "cinco erros crassos" da coligação governamental PSD/CDS.

O secretário nacional socialista Miguel Laranjeiro sublinhou, em conferência de imprensa em Lisboa, que os números do desemprego do Instituto Nacional de Estatística relativamente a julho, conhecidos no domingo, mostram que no mês passado o número de inscritos nos centros de emprego era 25% superior ao do mesmo mês de 2011, não havendo "qualqer consequência" do efeito sazonal do turismo.

"É uma situação inédita nos últimos anos e uma situação muito preocupante. Onde está o Governo e as políticas de combate ao desemprego? No que diz respeito ao combate ao desemprego o Governo há muito tempo que está de férias. Está parado há tempo de mais e é necessário agir. Portugal não aguenta mais este ataque ao mercado de trabalho", disse Miguel Laranjeiro.

"Desemprego recorde é consequência das políticas erradas" do Governo

Para o PS, "este desemprego recorde é consequência das políticas erradas" do Governo e "de cinco erros crassos que estão a destruir o emprego em Portugal": "ausência de políticas de promoção e manutenção de emprego", "recusa em apostar no crescimento económico como alavanca de combate ao desemprego", "defesa ideológica da austeridade excessiva custe o que custar", "destruição da qualidade dos serviços públicos" e "seguidismo da política europeia da senhora Merkel".

Laranjeiro insistiu em que há uma "inação do Governo" em relação ao desemprego e em que "faltam políticas ativas de emprego e de combate ao desemprego".

Medidas... já

Para o PS, acrescentou, o Governo deve tomar medidas "hoje" em relação a este problema, não sendo necessário "esperar pelo orçamento" do Estado apra 2013.

"É isso que exigimos do Governo, combate ao desemprego, todos os dias são batidos recoredes", sublinhou, reiterando que o "combate ao desemprego se faz com economia", tal como o PS tem defendido no último ano.

O dirigente socialista referiu ainda que o número de professores do ensino secundário, superior e profissões similares inscritos nos centros de emprego mais do que duplicou em julho em relação ao período homólogo, sendo o grupo profissional com um aumento mais significativo.

"Como é que o Governo diz que no sistema ensino está tudo a correr às mil maravilhas quando lança milhares de professores para o desemprego?", questionou.