Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Cesária Évora "está fraca" mas "perigo maior já passou"

Cesária Évora "ainda está fraca mas o perigo maior já passou", disse o seu empresário. A cantora cabo-verdiana sofreu um AVC na sexta-feira, em Paris.

A cantora cabo-verdiana Cesária Évora "ainda está fraca mas o perigo maior já passou", afirmou hoje o empresário da "Diva dos Pés Descalços" à Agência Lusa, em Paris.

José da Silva declarou também à Lusa que Cesária Évora está afastada dos palcos, mas "não é de excluir que possa vir a gravar" de novo e a colaborar com outros cantores.

A conhecida cantora foi admitida de urgência na sexta-feira, no hospital de La Pitié-Salpétrière, em Paris, "na sequência de um AVC agravado por sérias dificuldades respiratórias", lembrou o adido cultural de Cabo Verde em Paris, David Leite, num comunicado dirigido no domingo à noite à comunidade cabo-verdiana em França.

"Apesar de fraca, estava a gozar com a situação"

Depois de um dia crítico no sábado, a cantora recuperou e hoje, "apesar de fraca, estava a gozar com a situação", afirmou José da Silva, contactado pela Lusa no estúdio de Paris onde Cesária Évora tinha previsto uma nova sessão de gravações.

"O maior perigo já passou e os médicos estão confiantes. Continua na unidade de reanimação para que tentem estabilizar a respiração", acrescentou o empresário da cantora.

"A Cesária está consciente, está a falar e mesmo a gozar porque gosta de mostrar que está bem e que está forte, mesmo que se veja que ela ainda está fraca", relatou José da Silva.

"A decisão de terminar a carreira foi muito dura de tomar"

A decisão de abandonar definitivamente os palcos, anunciada dois dias antes do acidente vascular de sexta-feira, "não foi do agrado mas Cesária está consciente que o corpo não ia ajudar mais", adiantou o empresário.

José da Silva vive este abandono dos palcos da grande voz de Cabo Verde como "um momento difícil porque não ficamos bem ao ver alguém assim diminuído e com dificuldades".

"A decisão de terminar a carreira foi muito dura de tomar. Quem conhece a Cesária sabe que ela se sente bem só quando está no palco. A vida dela é isso, o contacto com os fãs que a amam. Parar é extremamente duro para ela", disse ainda José da Silva.

"A minha esperança é que ela recupere e possa mais tarde fazer coisas, participar ou gravar. Mas ainda é cedo para pensar nisso. Para já, a preocupação é a recuperação dela", acrescentou, no entanto, o empresário.

Concertos cancelados

Todos os concertos foram cancelados e, para já, não há nenhum lançamento novo.

"Estávamos mesmo no início da gravação de novos temas. Não há nada ainda", afirmou José da Silva.

O veterano compositor e trompetista cabo-verdiano Morgadinho (alcunha e nome artístico de Joaquim Soares de Almeida), contactado hoje pela Lusa em Paris, considerou que "não haverá nunca outra voz como Cesária".

Para Morgadinho, que escreveu dois temas para Cesária Évora em 1960, "jamais teremos uma cantora de mornas como esta, pois ela tem umas cordas vocais fora de série".