Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Cena de terror num cinema dos EUA confunde-se com a ficção

  • 333

O cinema Century 16 foi o local da tragédia

EPA

Doze mortos e 59 feridos, entre eles um bebé de três meses, é o resultado do massacre desta madrugada no Colorado (manhã em Lisboa). FBI exclui hipótese de terrorismo.

Ricardo Lourenço, correspondente nos EUA (www.expresso.pt)

James Holmes, 24 anos, estaciona um Hyundai branco nas traseiras do cinema Century 16, em Aurora, subúrbio da cidade de Denver, estado do Colorado. Vem vestido de preto, com um colete à prova de bala e luvas de atirador, armado com dois revólveres, uma metralhadora, uma caçadeira e duas granadas de um gás desconhecido.

Sai do carro, coloca uma máscara e dirige-se para uma das portas das traseiras, que dá acesso à única sala que está cheia. Lá dentro, centenas de pessoas assistem à estreia de "Batman: O Cavaleiro das Trevas Renasce", o novo capítulo da saga do herói de banda desenhada.

Mal Holmes pontapeia a porta, arremessa para junto das primeiras filas duas granadas de gás, que as autoridades desconfiam ser pimenta ou lacrimogéneo, e dispara as primeiras rajadas de metralhadora.

Algumas pessoas ficam na dúvida se não se trata de um acto encenado pelos promotores da estreia. Outros nem sequer se apercebem, até porque na altura a película passava uma cena de tiroteio. Realidade e ficção deixaram de se confundir aos primeiros gritos de socorro.     

Os tiros iniciais são para o ar. Os espectadores fogem, desordenadamente, e o atirador começa a escolher os seus alvos.

No fim do massacre, 12 pessoas morrem e 59 ficam feridas, entre elas um bebé de três meses. As autoridades adiantam que o número de mortos pode aumentar devido ao estado muito grave de alguns dos internados, que foram distribuídos por seis hospitais da região.  

Um deles estava numa sala ao lado e foi vítima de uma bala perdida que trespassou a parede.

Detido no parque de estacionamento

Frank Fania, porta-voz da polícia local, contou ainda ao Expresso que Holmes foi detido no parque de estacionamento, quando regressava ao carro, e que não ofereceu qualquer resistência. "Não há indício de que se trate de um ataque terrorista. Estamos perante um atirador isolado", explicou.

Cerca de cinco minutos depois do massacre, que começou às 00h39, mais de 200 agentes estavam no local.

Ao início da manhã, e à medida que a notícia ia sendo conhecida, as autoridades um pouco por todo o país anunciavam medidas extra de segurança.

O director da polícia de Nova Iorque (NYPD), Ray Kelly, revelou, há meia hora, que serão destacados reforços policiais para várias salas de cinema da maior cidade americana, durante este fim-de-semana, em especial para aquelas onde o novo Batman é cabeça de cartaz.

"É uma mera medida de precaução e também para nos proteger de alguém que queira copiar os eventos de Colorado", disse Kelly.

Apartamento armadilhado

Entretanto, em Aurora, prossegue o trabalho da polícia que, nas últimas horas, cercou e mandou evacuar o prédio onde vivia James Holmes. "O atirador armadilhou o seu apartamento com uma quantidade ainda desconhecida de explosivos", afirmou o director da polícia local, Dan Oates, durante uma conferência de imprensa.

Oates prevê que os engenhos sejam desactivados durante os próximos dias.

O chefe da polícia deixou ainda um alerta para os jornalistas. "Por favor tenham cautela. Há muita informação falsa a circular nas redes sociais. Por favor não a usem. Ainda há cerca de minutos, um indivíduo fez-se passar por mim e as suas afirmações foram usadas por uma cadeia de televisão".   

Em comunicado, a família de Holmes, residente na Califórnia, também deixou um recado à comunicação social, pedindo para que respeite a sua privacidade. Lê-se ainda, no documento, que o jovem de 24 anos, licenciado em Biologia, estaria a completar um doutoramento em neurociência.

O pai do criminoso estará a caminho de Aurora.

Militares entre as vítimas

O Pentágono revelou que vários militares americanos estão entre as vítimas do tiroteio, escusando-se esclarecer se existem mortos entre eles.

Perto do Century 16 há uma pequena base americana com cerca de 10 mil soldados. O Departamento de Defesa americano recusa estabelecer qualquer relação entre a presença dos militares e o massacre, considerando pura especulação as informações de que eles seriam o alvo do massacre.   

James Holmes apresenta-se em tribunal na segunda-feira.

 

Vídeo filmado por uma pessoa no local, logo após o incidente, e publicado no YouTube:
Veja vídeo SIC: