Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Cartaz sobre amor gay censurado em França

A Associação francesa de Profissionais por uma Publicidade Responsável censurou um cartaz da campanha nacional contra a sida, que mostra dois homens, despidos numa cama.

Maria Luiza Rolim

A imagem de dois homens a beijarem-se, despidos e deitados, um por cima do outro, numa cama, está a suscitar polémica em França. Trata-se de um  cartaz de uma campanha institucional contra a propagação do vírus da sida que acabou por receber o veto da Associação de Profissionais por uma Publicidade Responsável (APPR), por considerar a cena demasiada explícita.

A censura ao cartaz foi considerada absurda pela comunidade homossexual em França, tendo deflagrado uma guerra entre a associação e outras organizações dedicadas à luta contra a sida, tais como a Act Up Paris.

A Act Up Paris acusa a APPR de preconceito, afirmando que os critérios de censura da associação variam conforme os cartazes apresentem casais heterossexuais ou gays.

Segundo um porta-voz da Act Up Paris, "não se vê este tipo de medidas, contra cartazes semelhantes, quando os protagonistas são heterossexuais". Pelo que, a organização considera o veto uma afronta à comunidade gay.

Esta organização defende que a campanha continue a ser difundida tanto nos locais frequentados por homossexuais como nos meios de comunicação, e exige que o Instituto Nacional de Prevenção e Educação para a Saúde e o Ministério da Saúde francês condenem o veto da campanha por parte da APPR.

Grupos franceses de gays e lésbicas lamentaram a tendência da sociedade para questionar mensagens que tenham a ver directamente com temas como a homossexualidade ou o vírus da sida, por medo de ferir susceptibilidades.