Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Autarca de Tui pede fim às bandeiras espanholas em Valença (vídeo)

Presidente da Câmara de Tui diz que fecho do SAP do Centro de Saúde de Valença é um "tema solucionado" e "é hora de arquivar o assunto". (Veja vídeo no final do texto)

O presidente da Câmara de Tui pede para que "as bandeiras espanholas desapareçam das varandas de Valença", considerando que "é hora de arquivar" a polémica sobre o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do outro lado da fronteira. Antonio Fernández Rocha diz à Lusa que a polémica gerada em torno do encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do Centro de Saúde de Valença é já um "tema solucionado", reforçando a ideia de que "é hora de arquivar este assunto". 

"A verdade é que não houve aumento de pacientes portugueses em Tui. Aqui está a atender-se os pacientes que normalmente já se atendia e creio que isso é um bom sinal, porque quer dizer que o Centro de Saúde de Valença está a funcionar bem", sublinha o autarca espanhol. 

Afirmando ser "totalmente contra manifestações", o presidente da Câmara de Tui pede para "que as bandeiras espanholas desapareçam das varandas de Valença", depois de terem sido colocadas no início do mês em várias casas e estabelecimentos comerciais do concelho. 

A ação de protesto foi igualmente criticada pelo presidente da Câmara de Valença, Jorge Mendes, que a 7 de abril considerou tratar-se de um ato "antipatriótico" que "deixa ficar mal a terra". 

Luta que já não faz sentido

Para Antonio Fernández Rocha, esta é uma luta que não faz sentido continuar já que Valença e Tui são "concelhos amigos". "Chegado um momento, está claro que temos que pôr um ponto final a este tipo de notícias, que não têm porque estar continuamente a sair", enfatiza. O autarca espanhol refere ainda que "se algum dia um português tiver uma urgência de saúde poderá continuará a ser tratado em Tui, como sempre aconteceu". 

O SAP do Centro de Saúde de Valença encerrou definitivamente na meia noite de 28 de março, tendo havido um conjunto de protestos contra esta decisão do Governo, sendo um dos principais alertas lançados a necessidade dos portugueses terem de ser tratados no Centro de Saúde de Tui, facto que acabou por não se verificar segundo as entidades de saúde espanholas.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.