Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Ana Free deve ao YouTube sucesso da carreira musical (vídeo)

O YouTube tem arrancado artistas ao anonimato, sendo disso exemplo a portuguesa Ana Free que, três anos depois do primeiro vídeo colocado no 'site', continua fiel ao espaço que a lançou. (Veja o vídeo)

Numa versão moderna dos contos de fadas, o YouTube tem arrancado artistas ao anonimato, sendo disso exemplo a portuguesa Ana Free que, três anos depois do primeiro vídeo colocado no 'site', continua fiel ao espaço que a lançou.     "Coloquei o meu primeiro vídeo no YouTube em janeiro de 2007. Na altura não sabia exatamente o que havia de esperar, mas tive consciência do que estava a fazer e o meu objetivo era alcançar os corações de muitas pessoas", assegurou a intérprete de "In My Place" à agência Lusa, recordando os seus primeiros passos no 'site'.     Ana Free, de seu nome verdadeiro Ana Gomes Ferreira, 22 anos, queria "tentar melhorar e inspirar" o mundo à sua volta e considerou que "o YouTube seria uma boa plataforma para atingir esse objetivo". E - como a própria afirmou - "pelos vistos não estava errada".     Cerca de dois meses após atuações em Miami e Nova Iorque, Ana Free contou que, para a sua carreira, o YouTube significa agora o mesmo que em janeiro de 2007: "É uma plataforma onde eu divulgo o meu trabalho, e os meus fãs podem ter a confiança e ter a certeza que é no YouTube que eu vou lançar os novos vídeos".  

Fiel ao YouTube apesar de ter site oficial 

"Especialmente os fãs que não estão em Portugal vão procurar as novidades ao YouTube, para saber onde é que eu estou e o que é que eu tenho feito", afirmou à Lusa a partir do Reino Unido, onde vive, explicando que se mantém fiel ao espaço digital que a divulgou, apesar da participação em redes sociais e de ter um 'site' próprio.     "Os fãs não vão ao 'site' oficial ver os novos vídeos. São capazes de ir lá ver os outros vídeos através de um que viram no YouTube, mas passaram pelo YouTube primeiro, de certeza absoluta", afirmou, convicta.     Por isso, o 'site' idealizado em fevereiro de 2005 por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim é sempre escolhido para divulgar "montagens e vídeos novos".      "Depois, sou capaz de pôr um 'link' para esses vídeos no meu Twitter, no meu Facebook e no meu MySpace", mas o YouTube continua a ser o espaço "fundamental".  

Exemplo de Justin Bieber 

"O YouTube tem continuado consistente e eu gosto muito da forma como, apesar de as visitas terem aumentado, a recetividade é agora a mesma de há três anos. Isso parece-me uma coisa diferente e única. E é ótimo quando nada muda mas muito muda", acrescentou a voz de "Questions in My Mind".   Com base na sua experiência e em casos mais recentes, Ana Free acredita que "um vídeo no YouTube é uma oportunidade", e contou como Justin Bieber - que começou por colocar vídeos com as suas atuações naquele 'site' para que os familiares geograficamente distantes pudessem vê-las - "explodiu na cena musical internacional".     "O Justin Bieber é 'uma criança do YouTube', digamos, que agora está com um editor nos Estados Unidos e lançou os primeiros singles e um álbum", revelou Ana Free acerca do canadiano de 16 anos que, na sua opinião, "é um exemplo de como o YouTube pode ajudar um artista".      *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.