Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Álvaro Santos Pereira diz que cinco anos da suspensão foi vontade da Igreja

Governo e Santa Sé chegaram hoje a acordo sobre a eliminação dos feriados religiosos.

O ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, disse hoje que o prazo de cinco anos para suspensão dos dois feriados religiosos "foi a vontade da Santa Sé", rejeitando comparações com o corte dos subsídios.

Álvaro Santos Pereira proferiu a declaração na sede da Fundação AEP, no Porto, à chegada para um jantar com empresários portugueses e espanhóis, promovido pela CIP (Confederação Empresarial de Portugal) e pela CEOE (Confederação Espanhola de Organizações Empresariais), na véspera da XXV Cimeira Luso-Espanhola.

A afirmação foi feita após o ministro ser questionado sobre a notícia, hoje confirmada pelo Governo, de que a partir de 2013 ficam suspensos durante cinco anos os feriados do Corpo de Deus (que se celebra a uma quinta-feira, 60 dias depois da Páscoa, e cuja solenidade é transferida para o domingo seguinte) e o Dia de Todos os Santos (01 de novembro).