Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Álvaro 'repescado' por comissário europeu

Programa da visita do vice-presidente da Comissão Europeia foi alterado à última hora para incluir um encontro com o ministro da Economia, não previsto na agenda inicial.

Rosa Pedroso Lima (www.expresso.pt)

Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia, não tinha sido convidado para qualquer encontro com o vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pelas pastas da Economia e Finanças da União Europeia, Olli Rehn. "Nenhum encontro estava no programa", disse ao Expresso fonte da delegação da Comissão Europeia em Lisboa. 

Do programa inicialmente divulgado e incluído no site da delegação em Portugal, não há qualquer referência ao encontro com Santos Pereira. No entanto, o mal-estar causado pela situação - que o Expresso divulgou - acabou por ser transmitido pelo gabinete do ministro à representação de Bruxelas em Lisboa.

O comissário europeu reagiu e conseguiu incluir uma passagem pelo Ministério da Economia para um breve encontro com o titular da pasta. A reunião está prevista para decorrer imediatamente a seguir ao encontro de Olli Rehn com os parceiros sociais e antes da prevista passagem pelo Ministério das Finanças.

Programa da visita vira problema

O programa da visita do comissário europeu transformou-se num problema também pelas críticas feitas pelo líder da CGTP, que manifestou o seu desagrado por nenhuma delegação da Intersindical ter sido chamada a participar no encontro, agendado para amanhã à tarde, com o Conselho de Concertação Social. 

Inicialmente, a ideia era permitir uma avaliação do acordo por parte dos signatários do documento - UGT e confederações patronais - razão pela qual a delegação da CGTP ficou de fora.

As críticas, no entanto, foram bem acolhidas pela Comissão Europeia e pelo comissário, que tentaram evitar embaraços protocolares durante a curta visita a Lisboa. Assim, abriram o encontro na Concertação à delegação da Intersindical e, nessa altura, convidaram também o ministro da Economia para participar no mesmo encontro. 

Mais tarde, a comissão dispôs-se a abrir meia hora na agenda de Olli Rehn para um encontro em privado com Álvaro Santos Pereira.

Pesou bastante para esta decisão o facto de o comissário europeu ter previstos encontros privados com várias individualidades políticas - ministro das Finanças, governador do Banco de Portugal, presidente da Assembleia da República e deputados de quatro comissões. Por isso, procurou encontrar uma solução, em termos protocolares, que não desfavorecesse o ministro da Economia.

O comissário europeu acumula as pastas da Economia e Assuntos Monetários e é vice-presidente da Comissão Europeia. Estará quarta e quinta-feira em Lisboa.