Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Algarve atesta praias com €6 milhões em areia

Algarve iniciou a maior operação de enchimento artificial de praias de que há memória, recorrendo a fundos privados e comunitários. Vale do Lobo foi a primeira da fila.

Mário Lino, correspondente no Algarve (www.expresso.pt)

Vale do Lobo, Dunas Douradas e Vale do Garrão, Forte Novo, Almargem e Loulé Velho. São seis as praias que vão receber mais de um milhão de metros cúbicos de areia, numa operação que começou no fim de Maio e vai prologar-se durante o Verão, até ao final de 2010.

O enchimento artificial, realizado através da sucção de areias do fundo do mar, depois encaminhadas para seis estações de bombagem, ao longo de uma área de cinco quilómetros de costa, é o maior de sempre na costa algarvia: "Esta operação implica a dragagem de um milhão e 250 mil metros cúbicos de areia. A segunda maior foi nos anos 1960, na Praia da Rocha, com 900 mil metros cúbicos", garante fonte da Administração da Região Hidrográfica do Algarve (ARH).

Segundo a ARH, que supervisiona o projecto, os trabalhos - que foram adjudicados à empresa dinamarquesa Rohde Nielsen A/S - desenvolvem-se em seis frentes, utilizando duas dragas que sugam areia do fundo do mar para a distribuir posteriormente pelas dunas. A areia é transportada através de um sistema de tubos extensíveis, colocados longitudinalmente ao longo dos cordões dunares, que repelem a areia misturada com água, num raio de acção de 300 metros para cada lado.

O projecto, que começou pelas praias de Vale do Lobo e Dunas Douradas, é pago parcialmente pelo empreendimento de Vale do Lobo, numa proporção de 30%. Os restantes 70% são financiados por fundos comunitários.

Especialista avisa que solução é provisória

Para Alveirinho Dias, professor universitário e especialista em zonas costeiras, a medida é inevitável mas apenas adia a questão: "Nós perturbámos os processos naturais, fazendo com que as areias deixassem de lá chegar. Há falta de areia nas praias por causa das actividades que o homem desenvolve nas bacias hidrográficas, como é o caso das barragens e das extracções de areia", explica ao Expresso.

"Nós temos pago milhões de euros para coisas inadequadas, como os molhes e esporões e no caso de Vale do Lobo não há dúvida de que se está a pagar a factura por causa dos molhes da marina de Vilamoura, que causam a erosão das praias a nascente", acrescenta Alveirinho Dias, recordando que este enchimento se trata, uma vez mais, de uma solução provisória mas também a única possível.

"Agora, o que interessa é que a areia seja reposta na praia, mas convém não esquecer que estas realimentações não resolvem o problema. Daqui a uns anos será preciso investir de novo", conclui.

Reenchimento quatro anos depois

Recorde-se que a praia de Vale do Lobo já tinha sido alvo de um enchimento em 2006, há quatro anos, com uma carga de 370 mil metros cúbicos de dragados.

De acordo com a ARH, o reenchimento artificial de 1.250.000 metros cúbicos de areia irá permitir um alargamento entre 30 a 45 metros da zona útil das praias abrangidas, num combate artificial que poderá, segundo os responsáveis, adiar o problema da erosão costeira durante mais uma década.