Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

"Agora já somos família"

Teresa Pires e Helena Paixão tornaram-se hoje o primeiro casal homossexual a contrair matrimónio civil, sob o olhar atento de familiares e amigos e dezenas de jornalistas.

Maria Barbosa (www.expresso.pt)

"Declaro, em nome da Lei e da República Portuguesa, que estão unidas por casamento". A frase, dita pela conservadora que celebrou a união de Teresa Pires e Helena Paixão, esta manhã, pouco antes das 10h, foi o ponto final numa história que começou há quatro anos, naquele mesmo espaço, anteriormente designado por 7ª Conservatória de Lisboa - actualmente, Conservatória do Registo Civil.

Com a nova lei, o casamento é agora "um contrato celebrado entre duas pessoas que pretendem constituir família mediante uma plena comunhão de vida".

No fim da cerimónia, familiares e amigos, não escondiam a emoção. Também as filhas de Teresa Pires e Helena Paixão, de uniões anteriores heterossexuais, sentadas na sala na companhia dos avós, não ficaram indiferentes ao ambiente de festa que se começava a sentir, principalmente depois de José Carlos Tavares, um activista que há anos luta contra a discriminação e homofobia, levantou a bandeira arco-íris (reconhecido símbolo LGBT).

Sem troca de alianças

"Agora já somos família", disse Teresa, emocionada, abraçada a Helena. As duas mulheres fizeram saber que vão adoptar os respectivos apelidos. Só não houve troca de alianças. Mesmo assim, António Serzedelo, presidente da Opus Gay - que desde a promulgação da lei pelo Presidente da República manifestava a vontade de ver Teresa Pires e Helena Paixão a estrearem a nova lei - descreveu-a como uma "cerimónia romântica entre duas pessoas que muito contribuíram para a promulgação deste diploma".

Sobre o facto de terem optado por uma roupa informal, como calças e t-shirt, Teresa Pires não hesitou em troçar dos estereótipos tantas vezes associados à comunidade gay: "Estavam à espera que viesse para aqui vestida de noiva? Vim vestida normalmente, o que não significa que este dia seja igual aos outros. É o dia do meu casamento. É uma data muito especial mas não é nenhum espectáculo".

Aos dezenas de jornalistas que ocorreram ao local, tendo a cerimónia sido transmitida em directo pela SIC, Teresa Pires e Helena Paixão admitiram que a "luta continua". Depois do casamento, as duas vão colaborar com a comunidade homossexual no sentido de ser conquistado o direito à parentalidade.

Ao lado de ambas vai estar, uma vez mais, o advogado Luís Grave Rodrigues, escolhido para padrinho na cerimónia. "As duas merecem entrar para a história como o primeiro casal gay a contrair matrimónio. Vivemos agora num país mais justo e solidário".