Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Afegã mutilada já tem novo nariz

  • 333

Aisha, afegã mutilada pelo marido que foi capa da "Time", exibiu novo rosto na Califórnia ao receber o Enduring Heart Award da Grossman Burn Foudation, que financiou a reconstrução facial. (Veja no final do texto vídeos colocados no YouTube)

Maria Luiza Rolim(www.expresso.pt)

"Bibi" Aisha voltou a sorrir. A mulher que foi capa da polémica edição da revista "Time", em agosto, acompanhada da manchete "What happens if we leave Afghanistan" (O que acontece se deixarmos o Afeganistão), já tem um novo nariz. A prótese foi exibida há poucos dias, durante a entrega do Enduring Heart Award, na Califórnia.

O prémio, concedido pela fundação norte-americana Grossman Burn, financiou a reconstrução facial. Aisha, que teve o nariz e as orelhas cortadas pelo marido, como punição por ter fugido de casa, foi abandonada depois de mutilada, tendo conseguido escapar à morte após ser socorrida no hospital militar norte-americano, no Afeganistão. 

Distinção pela coragem e bondade

A afegã, que se casou ainda adolescente, saiu da sua casa no Afeganistão por já não suportar mais a violência doméstica de que era alvo, tendo o castigo sido aplicado pelo marido com a aprovação de um comandante talibã. A jovem foi resgatada com vida, ganhando notoriedade a partir do momento em que foi capa da revista norte-americana "Time".

O prémio Enduiring Heart foi entregue pela primeira-dama da Califórnia, Maria Shriver, mulher do governador Arnold Schwarzenegger, que destacou a importância de se "ter amor e um coração forte".

Além do prémio, Aisha teve uma reunião com a ex-primeira-dama americana, Laura Bush, que se tem dedicado à questão da violação dos direitos humanos, em especial das mulheres, no Afeganistão.

O caso serviu de pretexto para uma reportagem sobre a permanência dos EUA no Afeganistão, com enfoque sobre a situação das mulheres que vivem num país sob regime talibã.