Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Administradores da CGD e da Media Capital ouvidos no Parlamento

Jorge Tomé e Juan Herreno vão responder na comissão de inquérito parlamentar sobre a alegada intervenção do Governo no negócio PT/TVI.

A comissão de inquérito parlamentar sobre a alegada intervenção do Governo no plano da Portugal Telecom (PT) para comprar a TVI ouve hoje os administradores da Caixa Geral de Depósitos, Jorge Tomé, e da Media Capital, Juan Herrero.     A comissão de inquérito irá tentar perceber porque razão Jorge Tomé deixou, em outubro de 2009, de representar a CGD no comité de investimentos da PT.     A decisão de Jorge Tomé surgiu logo a seguir à polémica em torno do investimento de 75 milhões de euros que a operadora liderada por Zeinal Bava fez em fundos geridos pela Ongoing, empresa que tem uma participação na Portugal Telecom e que tentou comprar a Media Capital, proprietária da TVI, depois de a PT ter desistido.     Jorge Tomé é ouvido na comissão às 9:00, estando a audição de Juan Herrero marcada para as 17:00.     O testemunho do administrador da Media Capital deverá servir para confirmar se foi mesmo Juan Herrero que propôs a José Eduardo Moniz - como este afirmou - passar de diretor-geral para consultor da TVI, explicando-lhe que "constituía um obstáculo à facilitação de acordos com outras empresas".   

21 ouvidos na comissão

  Criada por requerimento potestativo do PSD e do BE, a comissão de inquérito parlamentar tem como objeto "apurar se o Governo, direta ou indiretamente, interveio na operação conducente à compra da TVI e, se o fez, de que modo e com que objetivos".     Além disso, a comissão visa "apurar se o primeiro ministro disse a verdade ao Parlamento, na sessão plenária de 24 de junho de 2009", quando referiu que não tinha sido informado sobre o plano.     Para analisar estas questões, os deputados querem ouvir 21 figuras. O primeiro ministro será o último a ouvir e através de depoimento escrito.     ***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.