Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Adjunto de Miguel Relvas demite-se

Adelino Cunha, adjunto do ministro Miguel Relvas demitiu-se ao ser questionado pela revista "Sábado" sobre umas mensagens trocadas com o ex-espião Jorge Silva Carvalho.

O ex-jornalista Adelino Cunha, adjunto do gabinete do ministro Miguel Relvas, contactou em setembro de 2011 alguns jornalistas a pedido de Jorge Silva Carvalho, depois de ter sido tornado público que envelope enviado pela Assembleia da República ao ex-espião teria sido alegadamente violado.

Depois de ter sido confrontado pela "Sábado" sobre as mensagens de telemóvel então trocadas entre 8 e 15 de Setembro de 2011 com Jorge Silva Carvalho, em que terão combinado falar através de um telefone fixo o ex-jornalista Adelino Cunha anunciou a demissão, a qual já terá sido aceite pelo ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares.

"Conheci o Dr. Jorge Silva Carvalho antes de ter sido nomeado adjunto político do Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares e mantive, por minha iniciativa, contactos durante o período em que exerci funções", disse à "Sábado" Adelino Cunha.

O ex-jornalista explicou ainda porque razão se encontrou com o ex-espião.

"Em Setembro de 2011, o Dr. Jorge Silva Carvalho manifestou a sua indignação pelo facto de um envelope que lhe fora enviado pela Assembleia da República ter sido alegadamente violado. A título pessoal, contactei antigos colegas jornalistas alertando-os para esse facto. Informei-o também sobre os rumores que corriam na Assembleia da República sobre o alegado conteúdo dos documentos".