Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

A menina que calou o mundo já é adulta

  • 333

Em 1992, Severn Cullis-Suzuki tinha apenas 12 anos, mas calou uma sala cheia de políticos com um discurso sobre o ambiente, na conferência da ONU Rio-92. Vinte anos depois regressa ao Brasil para o Rio+20.

Mariana Cabral (www.expresso.pt)

"Vocês, os adultos, têm de mudar o vosso modo de agir." Foi assim, sem rodeios, que uma jovem de 12 anos silenciou uma sala cheia de políticos, em 1992, na Rio-92, conferência da ONU sobre o desenvolvimento sustentável, que decorreu no Rio de Janeiro.

A canadiana Severn Cullis-Suzuki ainda era uma adolescente quando criou o grupo ambientalista ECO (Environmental Children's Organization - Organização das Crianças pelo Meio Ambiente) e decidiu viajar até ao Rio de Janeiro, para mostrar aos líderes mundiais que estavam a negligenciar o planeta.

Em seis minutos, com um discurso intenso - mas pragmático - em defesa do ambiente, a jovem arrancou aplausos em todo o mundo e até ouviu Al Gore dizer que o seu discurso tinha sido o melhor da conferência.

"Queria fazê-los pensar sobre as suas próprias crianças"

Vinte anos depois, aos 32 anos, Severn Cullis-Suzuki vai regressar ao Rio de Janeiro, para o Rio+20, como ativista ambiental, acompanhando o grupo "We Canada". Mãe de dois filhos, Severn confessa que não está "muito otimista", mas diz que continua a lutar pelas "gerações futuras",

"Fazer o discurso foi um momento muito poderoso. Lembro-me que me senti muito confiante. Entendia muito bem o motivo de estar ali e o que tinha que fazer. Eu também estava indignada. Queria certificar-me de que agiria como consciência para os líderes. Queria fazê-los pensar sobre as suas próprias crianças", recordou, em entrevista à "Veja".

"Fiz muitas coisas em 20 anos. Mas aquele foi o momento mais famoso e certamente mudou a minha vida. Acho fascinante. As pessoas responderam de maneira tão forte àquele discurso porque a imagem, a ideia e a realidade de uma criança falando a verdade ao poder é uma mensagem que faz as pessoas pensarem sobre suas próprias crianças, sobre as gerações futuras, pelas quais somos responsáveis", explicou.

O vídeo com o discurso de 1992 foi visto online por mais de 18 milhões de pessoas, mas Severn Cullis-Suzuki duvidou da sua eficiência. "É difícil avaliar a influência que tive na consciência das pessoas. Hoje, 20 anos depois, diria que não conseguimos transformar o mundo num local mais sustentável".

A ativista também se mostrou muito desiludida com o seu país de origem, o Canadá, pelo abandono do protocolo de Kyoto e admitiu que, por todo o mundo, se avançou muito pouco na proteção ao meio ambiente nos últimos anos.

"Precisamos de uma mudança de paradigma para que o planeta tenha hipótese de sobreviver. Não sei qual será o legado da conferência [Rio+20]. Vamos descobrir no final."

Veja o vídeo com o discurso de Severn Cullis-Suzuki, em 1992: