Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

A Ásia mostrada em Lisboa

Museu Oriente abre dia 8 de Maio com exposição com 400 máscaras da Ásia, no ano em que se comemoram os 20 anos da Fundação Oriente.

Mário Robalo

O Museu Oriente abre dia 8 de Maio com uma exposição temporária de cerca de 400 máscaras da Ásia, que integram uma colecção única na Europa (13 mil objectos), adquirida em 1999 pela Fundação Oriente, que este ano celebra o seu vigésimo aniversário. "Testemunho das relações históricas entre Portugal e a Ásia", nas palavras do presidente da Fundação, Carlos Monjardino, o Museu reúne um acervo que têm o Oriente como temática principal, nas vertentes histórica, religiosa, antropológica e artística.

A exposição permanente dedicada à temática "Deuses da Ásia" e constituída por mais de 1400 peças de arte popular asiática (chinesa, indiana e japonesa), relacionadas com a música e o teatro - instrumentos musicais, trajes, marionetas, pinturas e porcelanas - e com as festividades tradicionais - objectos rituais, lanternas, pinturas e jogos."A criação do Museu está ligada à própria Fundação, e por isso mesmo pretende intensificar as relações culturais com os países da Ásia", sublinha Carlos Monjardino, referindo a propósito a exposição "Jovens pintores chineses", que estará presente entre Maio e Dezembro.

Situado na zona de Belém (Lisboa), o Museu do Oriente - um investimento de quase 30 milhões de euros - ficará instalado nos antigos Armazéns Frigoríficos do Porto de Lisboa, construídos em 1939. Ao todo são mais de 15 mil metros quadrados que serão repartidos por ateliês para o Serviço Educativo, cursos de Línguas orientais, além de espectáculos musicais, de dança e de teatro, relacionados com o Oriente.

E se na programação do Museu estão contemplados projectos de investigação em parceria com a Universidade de Lisboa, para o próximo ano estão já agendadas diversas actividades relacionadas com o aniversário da criação da República Popular da China e a Guerra da Coreia, entre outras.