46
Anterior
A União Europeia seria uma excelente ideia
Seguinte
Os espanhóis já estão a pagar o resgate aos bancos
Página Inicial   >  Blogues  >  Antes pelo contrário  >   A tua PPP é pior do que a minha

A tua PPP é pior do que a minha

|

Estou divertidíssimo com o jogo do centrão à volta das Parcerias Público-Privadas. Lendo alguns colunistas e ouvindo alguns comentadores fico convencido que foi Paulo Campos que as inventou. Tudo se resume a debater as responsabilidades deste senhor. Só que Paulo Campos é apenas um entre muitos. E, arrisco-me a dizer, até é arraia miúda.

Quando era jornalista no ativo e acompanhava a política de obras públicas discuti com vários técnicos e economistas aquilo que era então considerado o ovo de Colombo. Poucos, muito poucos, não adoptaram os princípios do "project finance" como o linguajar de gestor da moda. Na altura eram as obras rodoviárias que lhes calhavam bem. Mas a saúde acabou por seguir o mesmo caminho. Também aí a generalidade dos ideólogos do centrão aplaudiam as evidentes vantagens de associar a criatividade financeira do Estado ao empreendedorismo do privado. E quem, num caso e no outro, as atacasse, logo era acusado de preconceito ideológico contra os privados, de miserabilismo e de viver no passado.

O que são as PPP's e quais os prejuízos que causam ao Estado escuso-me de explicar. Cada um de nós terá de desembolsar 4.512 euros até 2050, não apenas para pagar as obras, mas para garantir o rendimento máximo garantido às empresas privadas que, com uma boa agenda de contactos no PS e no PSD, garantiram para si este negócio sem risco. O esquema é hoje sobejamente conhecido e toda a gente era contra estas parecerias desde pequenino.

Agora, enquanto os negócios se continuam a fazer e nenhum dos acordos ruinosos para o Estado é realmente renegociado, o consenso retórico do centrão - partidário e de opinião - é o oposto: como é que isto aconteceu? E abriu a caça ao "pêpêpista". Como Paulo Campos deu nas vistas, nada como ser o senhor a arcar com as todas as responsabilidades para não aborrecer gente muito séria que pulula por conselhos de administração de empresas igualmente acima de qualquer suspeita.

A ver se nos entendemos: não há, nesta matéria, entre o PS e o PSD, qualquer diferença. Fizeram o mesmo, da mesma maneira, pelas mesmas razões, com as mesmas desvantagens para nós e as mesmas vantagens para eles.

Porque tiveram as PPP's tantos entusiastas nos dois principais partidos? É olhar para o trânsito entre os principais ministérios e as administrações das principais beneficiárias das PPP's e logo se percebe porque não houve muitos ministros e secretários de Estado preocupados com os interesses do Estado e dos contribuintes. De António Vitorino a Valente de Oliveira, de Murteira Nabo a Luís Todo-Bom, de Luís Parreirão a Luís Filipe Pereira, de Jorge Coelho a Joaquim Ferreira do Amaral, de José Lopes Martins a Pedro Dias Alves, de Júlio Castro Caldas a António Nogueira Leite, os ex-titulares do ministérios fundamentais para estes negócios que estão ou estiveram nas principais empresas que deles beneficiaram (Mota-Engil, Soares da Costa, Grupo Mello ou Lusoponte) explicam as razões desta astronómica fatura.

Dito isto, continuem então o PS e o PSD na guerra das culpas. Terão muito trabalho pela frente. E os seus opinadores de serviço também, para conseguir fazer a devida seleção de culpados e explicarem que as PPP's do lado de lá foram muito piores do que as do lado de cá. Uma verdadeira comissão de inquérito às PPP's? Acho óptimo. Se for a sério, poderemos ver um interessante desfile de políticos-gestores. Teremos uma longa metragem do que foi e é o país político e empresarial dos últimos vinte anos. Digno da RTP Memória.


Opinião


Multimédia

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 46 Comentar
ordenar por:
mais votados
Honestidade
Crónica de factos. Não é uma questão de opinião. O que DO diz hoje é a verdade. Tudo gira acerca da razão última de se ir para a política. Tratar de se enriquecer e aceder à tão desejada classe de gente de dinheiro. Para o próprio, para os familiares e amigos, todos a subirem a escada do êxito,conforme essa gente o entende.

Culpas, várias. A imprensa, desde logo, pouco acutilante, pouco combativa, muitas vezes cúmplice.
A fraca cidadania, drogada com futebóis e similares.
A ausência e desinteresse de gente séria (acredito que ainda haja), receosa de se meter no vespeiro de intriga e calúnia em que se transformou o circo político.

O mal não está nas PPP, nem tão pouco na contratação com privados de serviços públicos.
Podem-se contratar hospitais privados e escolas privadas e conseguir melhores resultados em qualidade e custo.
Assim como se podem fazer PPP com condições equilibradas e justas, permitindo antecipar o usufruto das infraestruturas.

O que falta para que tudo isso seja possível e funcione bem, não é desconhecimento técnico/económico. O que falta é honestidade, decência, espírito de serviço.O que falta é estabelecer na cabeça de cada português que o dinheiro público é para uso público e intocável para proveito próprio.

Longa caminhada, me temo.........
Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
VocÊ não tem limites
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
as poucas vergonhas publico privadas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Paulo Campos mentiu ao Tribunal de Contas
Re: Honestidade
Re: Honestidade
Paulo Campos é culpado!
Não vale a pena DO vir com esta lenga lenga e dizer que Paulo Campos ex secretário das obras públicas de Sócrates era "arraia miuda". Pelo contrário,fazia Paulo Campos parte do Governo,era o braço direito de Mário Lino, o ministro e seguiam a estratégia de Sócrates, tão apregoada no palanque socialista.
Favores a bancos, a empreiteiros foi a prática durante seis anos,nestas PPP.E o mais grave ainda a criminosa omissão desses cntratos ao Tribunal de Contas.
Mas a questão central que ainda se coloca é esta: nestes contratos de 800 milhões de euros, Paulo Campos meteu algum ao bolso, ele e os seus "sócios" de Governo?
Neste pântano politico que foi a Governação Sócrates- com nuvens de corrupção do Freeport às obras da Cova da Beira, tudo leva a crer que sim.
Estes politicos entraram para o Governo socialista com uma mão à frente e outra atrás.Provavelmente hoje estão milionários!
Re: Paulo Campos é culpado!
Re: Paulo Campos é culpado!
Re: Paulo Campos é culpado!
Re: Paulo Campos é culpado!
Re: Paulo Campos é culpado!
Re: A tua PPP é pior do que a minha
O entusiastas nos dois principais partidos.
Daniel Oliveira e bem, refere que a culpa pelos elevados prejuízos causados aos contribuintes em resultado dos investimentos públicos efectuados com recurso às PPP's não são de um só homem. Alargou a culpa a PS e PSD, que considerou serem iguais, mas incoerentemente omitiu o entusiasmo dos partidos de esquerda PCP e BE, que eram os adeptos mais fervorosos de grandes investimentos públicos, mormente no sector da saúde. Nem Daniel Oliveira nem os representantes destes partidos alguma vez se manifestaram contra os investimentos públicos realizados pelo governo socialista com recurso ao financiamento privado através das PPP’s. Culpados existem muitos, responsáveis directos existem alguns e Paulo Campos é deles e devia ser julgado por isso.
Re: O entusiastas nos dois principais partidos.
Re: O entusiastas nos dois principais partidos.
NO FUNDO ... RESUME - SE ASSIM ...
São todos uns grandes filhos da ... PPP ...
Está a olhar para as árvores...
... e esquece-se da floresta!
O conceito das PPP não é descabido de todo. Aliás, até é uma excelente ideia. O problema é sempre o mesmo: os políticos!
Vejamos:
- o Estado é MUITO mau a gerir. MUITO mesmo! Basta ver que um colégio privado custa menos do que o custo de um aluno no público para o Estado. Mais exemplos haverão.
- Os privados são muito bons na procura da sua rentabilidade e muito maus no que respeita ao bem-estar da sociedade (a não ser que isso ponha em causa o seu P&L futuro)
A ideia seria juntar a capacidade de gestão dos privados, à capacidade do Estado em actuar sobre a sociedade.
Como os políticos são basicamente incompetentes e corruptos, entregaram aos privados um monopólio onde poderiam sacar fabulosos lucros.
Se as PPP fossem feitas como deveriam ser (aprovação do tribunal de contas, penalidades em caso de incumprimento, estabelecimento de pressupostos de qualidade, ...), nada disso sucederia, e teria sido uma solução Win-WIN.
Por exemplo, a ideia das SCUTs teria sido uma grande ideia se se tivesse previsto a criação de portagens correctas (onde faz falta a gratuitidade e onde se pode e deve cobrar), um cálculo correcto dos fluxos de trânsito, etc....
Re: Está a olhar para as árvores...
Re: Está a olhar para as árvores...
Re: Está a olhar para as árvores...
Re: Está a olhar para as árvores...
HR
Totalmente de acordo em penalizar tanto o PS como o PSD pois tem sido os verdadeiros coveiros deste país e para quem não acredita o resultado está à vista e não é de agora.
Embora na governação de sócrates foi à descarada por tal quem não trabalha e não herdou dá-se ao luxo de gastar 15 mil euros por mês em Paris, o povo paga tudo.
Re: A tua PPP é pior do que a minha
O DO escusava de ser tão caústico para esse jovem entertainer de extrema-direita chamado Henrique Raposo.
A história lúgubre e sinistra das PPP receio que ainda agora esteja a sair do adro. A face mais visível delas (mas nem sequer, porventura, a mais onerosa para os cofres do Estado) são as AutoEstradas, esse exercício de autofagia lusa que nos leva a ter equipamentos de excelência que cobrem praticamente toda a extensão do território continental, mas que são utilizados por um cada vez menor de número de veículos. Nessa matéria, sou o único português a afirmar, há muito tempo, que o Estado faria um ótimo negócio em nacionalizar as AutoEstradas, gerindo a sua manutenção (com impactos positivos nas pequenas empresas da área da construção civil), pagando as indemnizações às concessionárias (se é que há algo a pagar, dados os dinheiros públicos que foram investidos na respetiva construção), e aplicando preços que fossem suficientemente atrativos (destinados à manutenção dessas rodovias e sem gula fiscal) para que em massa o automobilista português nelas circulasse, sem sequer pensar duas vezes, como agora, em utilizar percursos alternativos (cujos reflexos ao nível da sinistralidade e no aumento dos encargos públicos com a manutenção das estradas nacionais e IP). Seria um investimento, também, com retorno garantido ao nível da fluência de circulação entre pessoas e bens. Nestas matérias das PPP, discutir o lodaçal laranja e rosa tem a mesma relevancia que esmiuçar a dicotomia
Re: A tua PPP é pior do que a minha
Muito boa a análise...
... a qual subscrevo.
Portugal triste e pobre!
Estes politicos e administradores que ao final de contas são os mesmo (só trocam momentaneamente de lugares) são o"cancro"deste pobre país!!! Como havemos de ser um país prospero e ao nivel dos melhores com estes animais sem vergonha e podres de ganancia e poder??? Como caros compatriotas??? Estamos entregues à bicharada e disto jamais vamos sair porque estes podres não querem largar os tachos, a roubalheira, o parasitismo! Sempre que vejo a cara de todos esses malditos corruptos fico logo com vomitos!!!
Re: Portugal triste e pobre!
Re: Portugal triste e pobre!
Se os outros fizerem então estes estão desculpados
Lá estamos "nós" com a conversa do "os outros (PSD..) também fizeram logo (insinua-se ...) estes (PS) também "podem" fazer! E, já agora, os próximos que venham também porderão fazer porque estes (PS) fizeram ...

Sendo no esssêncial verdade que, como diz DO, tanto o PS como PSD fizerem, em matéria de PPPs, a mesma coisa da mesma maneira não deixa de ser importante que:

1 - por cada PPP ruinosa para o estado se identifiquem os responsáveis e, para lá da incompetêncoa técnica e política, se apure se existem responsabilidades criminais;

2- as responsabilidades criminais eventulmente identificadas sejam julgadas e exemplarmente punidas. Para que a culpa não morra solteira e o sentimento de impunidade reinante na classe política permaneça;

3 - sejam aprendidas pelo Estado as devidas lições e tomadas as medidas preventivas adequadas para que situações destas não se voltem a verificar no futuro.

Isto é o mínimo que um cidadão pagador dos seus impotos pode exigir.

Tudo o resto não passa de conversa político-partidária inútil que tem como única consequência levar o Zé-Paga-Tudo a acreditar que o combate a estes verdadeiros cancros da sociedade que são a corrupção, a incompetência, a irresposbilidade e a impunidade crónica, estão finalmente a ser combatidos!
Re: Se os outros fizerem então estes estão desculp
Re: Se os outros fizerem então estes estão desculp
Comentadores
Começo a pensar que o Expresso deveria contratar alguns destes comentadores. Assim comecemos pelo dado adquirido que o privado gere melhor do que o público. Gostava de saber quantos estudos credíveis e independentes existem e que comprovem em como o privado presta melhores serviços e mais baratos? Há dois casos que têm vindo sempre à baila e com os quais eu não concordo minimamente, a saúde e a educação. Na saúde conheço diversos casos de pessoas qua acorreram a serviços privados e, quando a coisa deu para o torto, foram enviados para hospitais públicos. Quanto ao preço por aluno do ensino privado consultem, por favor, o relatório da OCDE sobre o assunto e deixem a demagogia de lado.
e ... não devriam ir todos para a cadeia ?
ora, desconhecendo a ledislação aplicável, não me cuibo de dar umas a abater, porque parece-me que a gestão ruinosa proveniente de contratos ruinosos para o Estado, para o dinheiro público, para o país, não são motivos mais do que suficientes para suspender esses contratos até averiguações e análises - o Tribunal de Contas até já as fez - e culpabilizar os seus autores e suas redes, averiguando das vantagens auferidas por essas pessoas ?
Acho que não se quer fazer é nada sobre o assunto ...
O ex-primeiro ministro, atento, e mais esperto do que todos os outros, já poisou em Paris por via das dúvidas - se eventualmente o país mudasse (embora não vá mudar), teria umas horitas após a emissão do mandato de prisão internacional para apanhar o 1º avião para local seguro - o Duarte Lima confiou na lentidão das coisas, e está ornamentado com uma bela pulseira ... Sócrates é vivo, e deve haver mais alguns ... olem-me o Dias Loureiro - registamos aqui um empate entre PS e PSD !!!
Comentários 46 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub