1
Anterior
Pai teme "morte lenta e dolorosa" da filha
Seguinte
Governo condena desacatos
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   A surpresa do festival: água e circo

Optimus Alive

A surpresa do festival: água e circo

No passeio marítimo de Alcântara, estão a chegar ao fim três dias de concertos. Bob Dylan desiludiu, mas Lucent Dossier, com as suas performances acrobáticas, deram para compensar.

|
Os Lucent Dossier a actuar no festival Optimus Alive
Os Lucent Dossier a actuar no festival Optimus Alive / José Ventura

São a verdadeira revelação do festival Optimus Alive e foram contratados para serem uma espécie de trincheira de combate para espectadores enérgicos no espaço que separa os dois palcos do recinto à beira Tejo, no passeio marítimo de Alcântara, em Algés. Desde as seis da tarde até para lá das três da manhã, os norte-americanos Lucent Dossier têm pegado fogo ao circo como mais nenhuma banda tem sido capaz de fazer no longo cardápio de concertos oferecido pela organização. Nem mesmo os Rage Against The Machine, que puseram a arena do palco principal em sobressalto na quinta-feira, se aproximaram da hipnose colectiva conseguida pelo grupo de "vaudeville cirque" de Los Angeles.

O espectáculo dos Lucent Dossier, a lembrar um pouco a paixão dos catalães La Fura Dels Baus e as proezas do Cirque du Soleil, envolve um palco cheio de água com números de acrobacia, dança, canto, teatro e uma interacção intensa com o público, que volta e meia se vê debaixo de um aguaceiro musical.

Conectados com o ambiente burlesco, os Lucent Dossier têm ganho projecção em Los Angeles, onde se tornaram residentes de uma das casas mais emblemáticas da cidade, The Edition. Muitos dos portugueses - e não portugueses - que têm assistido às suas performances no Optimus Alive provavelmente não sabem, mas o elenco que viajou até Lisboa é o original do grupo. O Los Angeles Times, o maior diário da Califórnia, noticiava esta semana a sua ausência devido à vinda a Lisboa.

Na sexta-feira, o ponto alto da noite acabou por ser Buraka Som Sistema. A banda da Linha de Sintra superou o concerto apagado de Bob Dylan, a quem parece ter faltado chama e vontade.


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados
É difícil manter a chama!
Tão longa a carreira; tão repleta de canções imortais; tão eivada de público e de palmas, que se torna difícil... Claro, ele tem uma obrigação, assim que assume um contrato...

Visite o blog: oquemevierarealgana.blogspot.com
Comentários 1 Comentar

Últimas


Pub