16 de abril de 2014 às 20:35
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  A surpresa do festival: água e circo

Optimus Alive

A surpresa do festival: água e circo

No passeio marítimo de Alcântara, estão a chegar ao fim três dias de concertos. Bob Dylan desiludiu, mas Lucent Dossier, com as suas performances acrobáticas, deram para compensar.

Micael Pereira
Os Lucent Dossier a actuar no festival Optimus Alive
Os Lucent Dossier a actuar no festival Optimus Alive
José Ventura

São a verdadeira revelação do festival Optimus Alive e foram contratados para serem uma espécie de trincheira de combate para espectadores enérgicos no espaço que separa os dois palcos do recinto à beira Tejo, no passeio marítimo de Alcântara, em Algés. Desde as seis da tarde até para lá das três da manhã, os norte-americanos Lucent Dossier têm pegado fogo ao circo como mais nenhuma banda tem sido capaz de fazer no longo cardápio de concertos oferecido pela organização. Nem mesmo os Rage Against The Machine, que puseram a arena do palco principal em sobressalto na quinta-feira, se aproximaram da hipnose colectiva conseguida pelo grupo de "vaudeville cirque" de Los Angeles.

O espectáculo dos Lucent Dossier, a lembrar um pouco a paixão dos catalães La Fura Dels Baus e as proezas do Cirque du Soleil, envolve um palco cheio de água com números de acrobacia, dança, canto, teatro e uma interacção intensa com o público, que volta e meia se vê debaixo de um aguaceiro musical.

Conectados com o ambiente burlesco, os Lucent Dossier têm ganho projecção em Los Angeles, onde se tornaram residentes de uma das casas mais emblemáticas da cidade, The Edition. Muitos dos portugueses - e não portugueses - que têm assistido às suas performances no Optimus Alive provavelmente não sabem, mas o elenco que viajou até Lisboa é o original do grupo. O Los Angeles Times, o maior diário da Califórnia, noticiava esta semana a sua ausência devido à vinda a Lisboa.

Na sexta-feira, o ponto alto da noite acabou por ser Buraka Som Sistema. A banda da Linha de Sintra superou o concerto apagado de Bob Dylan, a quem parece ter faltado chama e vontade.

Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
É difícil manter a chama!
Tão longa a carreira; tão repleta de canções imortais; tão eivada de público e de palmas, que se torna difícil... Claro, ele tem uma obrigação, assim que assume um contrato...

Visite o blog: oquemevierarealgana.blogspot.com
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub