33
Anterior
Jim Walton deixa presidência da CNN
Seguinte
Testamento vital já pode ser feito no notário
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   A primeira página do Expresso

Opinião


Multimédia

Musse de maracujá

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 33 Comentar
ordenar por:
mais votados
1ª página

Governo insiste: insiste, insiste... até que a maralha que lhes garantiu a vitória se farte e decida, reflectir, reflectir !!

Executivo, chumbo do TC: que os agora "eleitos" tomem posse, pode ser que tenham inclinação para o laranja e azul bebé... comme il faut !!

Passos, Gaspar, Paulo, equidade: Pois não é não, igual para todos. Basta ver como vcs se tratam e como nos tratam a nós.

Gaspar manda, enquanto PPC vai a banhos: e vai a banhos em casa alugada ao mês, com piscina, na Manta Rota, como o povão, como garantiu o bronco Mendes Bota.
Ai, e a Quinta do Lago ali tão perto !!

Catroga vai à China: como se sabe o gosto ou apetência por pentelhos, aconselho que leve alguns postiços, raramente encontrará alguém provido dos mesmos !!

Aprender com Relvas: com Relvas só se pode aprender o que não se deve: o imoral, amoral, abjecto, trafulhice.
Adorei o "respeito pela legalidade" !!

Professores: reclamaram de barriguinha cheia. Agora, aguentem-se !!

As minas do Álvaro: os pastéis e os pitos... já eram !!

Cutileiro: eu então não acredito nos chinos, nem no Mexia, nem no Cutileiro... neste, o João !!

Perella: Paulo Pereira, o consultor estrangeiro português que foi a correr oferecer-se à Perella porque tinha um caldinho dado pelos amigos Gaspar e Borges, que poderia render mais de 20 milhões... sem concurso, limpinho como água, mas tinha de ser estrangeiro e especialista em energia. Paulo Pereira é trifásico !!

Re: 1ª página
Re: 1ª página
Re: 1ª página
Re: 1ª página
Basta ds cobrar ao povo........................
A catastrofe que alastra pela Europa com o aumento da pobreza e miséria, andamos a comentar noticias previamente orientadasque só mantêm esta situação preversa e a nada conduzem. Seria muito mais importante o debate de alternativas a este estado de coisas e não insistirmos no ridículo de manter o sistema de ditadura dos mercados defendida por politicos ao serviço de interessesque nada têm a ver com os cidadãos, mas sim com interesses transnacionais, para além dos deles próprios,que dominam a actividade economica e os meios de comunicação social. São predadores implacáveis e as presas são os cidadãos incautos. Subtraiem às populções para adicionar à Banca, perante a passividade dos inocentes. E o mais preocupante não é a acção dos maus, mas o silêncio dos bons. Assiste-se ao desmantelamento, dissolução, desintegração, e destruição das identidades nacionais e da própia civilização, únicamente por razões ideológicas ultra liberais. Assiste-se por outro lado ao definhamento da Cultura com o advento deste sistema. Está a ser corroida de forma larvar os fundamentos da Democracia, transformada em inimiga do povo e não como um poder dele emanado. Portanto é urgente resistir a este pensamento únicoque nosquerem impôr. Mas a primeira condição para modificar a realidade consiste em conhecê-la, bem como às possiveis alternativas. Mas é dificil, dado o assalto feito à comunicação social. Instalou-se em Portugal uma estranha Democracia, onde uma minoria tudo recebe e o povo tudo paga.

O Resistente... em 25ª edição...
E insiste muito bem
Governo insiste em cobrar mais aos funcionários públicos e insiste muito bem.
Afinal, os FP continuam a ter o emprego garantido como se viu agora com os professores.

O resto da humanidade não.
Re: E insiste muito bem
Re: E insiste muito bem
Re: E insiste muito bem
Vê vocÊ
Se aceitaram 20 de contrato a prazo
Re: Se aceitaram 20 de contrato a prazo
Neste dia da inauguração dos Jogos Olimpicos de
Londres, não nos devemos cansar de celebrar e recordar o espírito olimpico, o mesmo é aderir a uma aspiração de harmonia, cultura e paz universais, numa permanente busca da concretização de uma utopia, na crença e exaltação da capacidade humana de ir mais alto e mais longe na construção de um ideal de justiça. É o celebrar da capacidade humana na busca de um sonho com fortes raízes culturais orientadas na busca de um mundo melhor de convivência civica no respeito por todos os povos....
Na busca de uma alternativa torna-se necessário
a resistência, mobilização e luta de todos os trabalhadores das empresas ainda em poder do Estado e que estes traidores querem entregar a privados, deviam fazer uma greve geral por tempo indeterminado, dado que se trata de uma autêntica pilhagem do Estado e de extorsão a toda a população. Essas empresas foram no passado modernizadas com dinheiros públicos que vieram dos impostos dos cidadãos e agora querem entregar a uma minoria privada. Trata-se de uma apropriação do alheio com a cúmplicidade de governandes a soldo que não zelam pelo interesse dos cidadãos e do próprio País. Se a comunicação social não tivesse sido assaltada pelos defensores dessa politica anti patriotica teria à muito tempo esclarecido as pesoas para não se deixarem enganar por policos incultos e sem ética nem caracter, movidos por ideologias que já deram provas de fracasso e que querem impôr atravez de toda a especie de restrições legais camufladas atravez do mêdo....

A primeira página do Expresso
O governo insiste e não desiste de por todos de tanga, mas como não há regra sem excepção ficam de fora los amigos a quem fazem a vendadada de bancos e pavilhões enquanto outros recebem comissões. Assim vai este País que continua a apodrecer para a maioria, mas que não deixa de engordar uma minoria. Não são só os professores, mas os engenheiros, enfermeiros e outros tais. Enquanto à maioria se baixa o salário, a uma minoria é oferecido emprego com vencimento de assustar. Deixaram-se enganar e entregaram o ouro ao bandido e colocaram a raposa a guardar as galinhas, agora não se devem queixar. Não acredito que o primeiro ministro tenha necessidade de passar férias numa Manta Rota e deve ser só para disfarçar, pois o Relvas está aí para ensinar. Se Catroga vai à China é para desconfiar e na volta ainda acaba tudo com os olhos em bico. Perella de fora é de estranhar, mas por vezes o que parece é. Finalmente a Soraia Chaves a fazer de Marylin para animar a malta.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/o-emigrante-portugues-1965-2012.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/emigracao-enganos-e-desenganos.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/02/ciclo-de-conferencias-sobre-emigracao.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/07/genro-de-cavaco-compra-pavilhao.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/07/o-relvas-o-relvas-demissao-vista.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/bpn-fraude-sem-castigo.html

Equidade com palas nos olhos
Ver a equidade estritamente pelo prisma dos cortes nos subsídios é como ver a realidade com palas nos olhos.
A primeira coisa a ter em conta na equidade é que o estado é acima de tudo uma entidade prestadora de serviços à sociedade tendo que se adaptar às necessidades dessa sociedade e à sua capacidade de pagar esses serviços. Havendo receção a economia ajusta-se automaticamente da forma mais brutal: falências, desemprego e redução nas despesas e no investimento privados.
Não pode o estado deixar de se adaptar a essa realidade sob pena de afogar ainda mais a economia e a competitividade carregando mais e mais sob a actividade privada.
Cortar subsídios, baixar salários, despedir funcionários, cortar despesas, reduzir serviços, etc. são opções que o governo tem, como gestor do estado, para assegurar a solvência. Não são uma questão de equidade público/privado. A haver falta de equidade ela só pode ser equacionada no contexto interno do estado e nunca numa comparação sacrifícios públicos versus sacrifícios privados. Ainda não vi nenhum membro do TC preocupado com a máxima falta de equidade que pode haver numa sociedade: uns irem para olho da rua e outros governarem-se melhor em função da desgraça dos primeiros. Pois é: é que a maior falta de equidade que existe parece que é "constitucional" e portanto, tudo bem em termos constitucionais.
Re: Equidade com palas nos olhos
1ª Página
Destaque para Soraia Chaves, o resto é sempre do mesmo até que a justiça decida ser mesmo justiça e modifique a actuação de impunidade que reina neste país tão pequeno mas grande na corrupção.
Governo prepara-se para mais cortes. Repare-se nos
salários minimos na Europa:
Suiça 2.916,00 euros
Luxemburgo 1.757,56 "
França 1.425,67 "
Belgica 1.415,24 "
Holanda 1.400,00 "
Reino Unido 1.035,00 "
Espanha 748,30 "
PORTUGAL 485,00 "
Falta de equidade FP/Privadao existe há mutos anos
Há muitos anos que está estabelecida uma grande falta de equidade entre a Função Pública e o Privado, a qual nunca ninguém (*) se preocupou em corrigir. E estou-me a referir claramente à vantagem do regime laboral da FP sobre o Privado.

. Idade de Reforma mais baixa (*)

. Impossibilidade de despedimento/Garantia vitalícia de emprego.

Onde é que andaram os paladinos da equidade (incluindo os meretíssimos do TC e os Srs deputados que pediram a fiscalização da medida dos cortes dos subsídios ...) estes anos todos? Não acham inscontitucioinal dois trabalhadores terem regimes laborais distintos em que um deles, o da FP, é claramente favorável ? Acham equidade que um tabalhador do privado possa em qualquer altura ser despedido e um da FP tenha emprego garantido para vida mesmo que não faça "nenhum" ?

Meretíssimos Juízes do TC: tenho um trabalhino para os Senhores fazerem: importam-se de "fiscalizar" a constitucionalidade de haver em Portugal trabalhadores com regimes laborais diferentes em que há um (aquele a que estão sujeitos os meretíssimos...) claramente vantajoso em relação ao outro?

(*) aqui temos de fazer justiça a Sócrates por ter promovido a convergência gradual das idades de reforma da PF e da Segurança Social.
 
Re: Falta de equidade FP/Privadao existe há mutos
Re: Falta de equidade FP/Privadao existe há mutos
Conversa de vacas magras?
Re: Conversa de vacas magras?
(continuação)
O que chama você`
Eu...
Eu, que me reduziram o vencimento em 3,5% (que era só para vigorar em 2011);

Eu, que continuei com a redução em 3,5% no vencimento em 2012, por imposição deste governo;

Eu, que me cortaram o subsídio de férias;

Eu, que me irão cortar o subsídio de Natal;

Eu, que não aderi a greves, manifestações e afins;

Eu, que estou a levar uma coça no lombo a cada comentário que leio aqui, só porque

Eu trabalho há 38 anos na função pública com um vencimento de técnico superior de valor ilíquido de € 1.573,00;

Eu, que gostaria muito de saber que técnico superior, com 38 anos de serviço, ganha apenas 1.573,00 €;

Eu, em face de tudo o que escrevi, estou a pensar em mudar de atitude.
E em 38 anos, nunca pensou mudar de emprego?
Re: Eu... correcção
Re: Eu...
Proposta
Venho apresentar uma proposta para redução de funcionários públicos e, consequentemente, redução dos encargos com os mesmos:

1.º Cada família é responsável pelo tratamento dos esgotos, numa extensão de x km (a seguir seria outro conjunto de famílias a que o colector servisse), assim cada um limpava a merda que deita pela sanita abaixo e se dispensavam os funcionários públicos que o fazem.

2.º Cada família é responsável pela limpeza à sua porta e transporte do lixo ao aterro sanitário que o abranja. Assim se dispensavam os varredores. Cada família teria, igualmente, de transportar o lixo doméstico ao local de tratamento.

3.º Seria bom, que cada um tratasse de tirar um curso de medicina, para dispensarmos médicos. Não sei como seria isso, dado que seriam necessários professores funcionários públicos para o fazer. Mas talvez por pesquisas no google sobre as diversas especialidades se consiga tirar um curso, ou sei lá, por equivalências pelas vezes que se está à cabeceira de um doente.

4.º O mesmo que o anterior para professor. Afinal têm que ensinar os vossos filhos, não é?

5.º Dispense-se os funcionários das finanças. Afinal quem precisa de gente que nos rouba os impostos? Não, não são precisos.

6.º Encerrem-se as autarquias locais (câmaras e juntas de freguesia). Afinal para que precisamos de gente que só sabe organizar excursões e almoços de natal para idosos?
Comentários 33 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub