16 de abril de 2014 às 22:48
Página Inicial  ⁄  Blogues  ⁄  Politicoesfera  ⁄  A mentira pornográfica de Passos Coelho

A mentira pornográfica de Passos Coelho

João Lemos Esteves (www.expresso.pt)

1. Vimos, ontem, aqui no POLITICOESFERA como Passos Coelho arrisca (e muito!) ao apoiar incondicionalmente Miguel Relvas nesta novela das secretas. Mas uma interpretação cuidada e uma análise meticulosa das palavras do Primeiro-Ministro revelam que o caso é ainda mais grave do que se julgava. Passos Coelho, no Parlamento (sede da democracia representativa), teve o topete de afirmar que não despede ministros com base em sms - e que deposita total confiança em Júlio Pereira, "patrão" dos espiões, chegando até a elogiar o seu trabalho na organização do trabalho das secretas. Com tais declarações, Passos Coelho não mentiu ao Parlamento. Pior, muito pior: Passos Coelho brincou com o Parlamento e, consequentemente, brincou com todos os portugueses. Vejamos porquê.

2. Em primeiro lugar, Passos Coelho sabe muito bem que o problema de Miguel Relvas não é receber sms's. Mesmo sendo de um personagem como Jorge Silva Carvalho. O problema de Miguel Relvas é que, não só protegeu, como se serviu de uma conduta deplorável e ilegal de Carvalho para aumentar o seu poder de pressão. Já todos percebemos que Miguel Relvas se sente incomodado ao explicar a sua relação com Jorge Silva Carvalho e foge a explicar a sua ligação informal aos senhores da Ongoing. Perante isto, Passos Coelho só dispunha de duas opções: (i) ou adiava as justificações para momento posterior ao apuramento dos factos (vamos acreditar que sim...) pela ERC; (ii) ou explicava, de forma clara e honesta, o envolvimento de Relvas no caso das secretas. Podia até admitir que Relvas foi cúmplice de Jorge Silva Carvalho, mas isso tinha sido no passado, estava muito arrependido - e o Primeiro-Ministro tem a firme convicção de que tal envolvimento de Relvas não é motivo suficiente para o afastar do Governo. Assim, falava verdade aos portugueses e não gozava connosco. Claro que tal decisão diria muito sobre Passos Coelho...e nós, portugueses, seríamos livres para julgar a sua decisão. Mas não: o Primeiro-Ministro tentou convencer-nos que o problema se resume a uma mensagem telefónica - o que significa, desde logo, que houve uma falta de comunicação no Governo ou uma desatenção gritante de Passos Coelho. É que Miguel Relvas já tinha admitido que se encontrara com Jorge Silva Carvalho: e já pertencia ao domínio público os negócios comuns de Miguel Relvas e Jorge Silva Carvalho, como a Visão desta semana muito bem explica. Logo, a explicação de Passos foi uma não explicação: foi uma tentativa falhada de minimização de danos políticos. O problema não é a mensagem: é o conteúdo da mensagem. E sobre esta, Passos Coelho não se pronunciou. Algo - grave!- está a incomodar o Primeiro-Ministro. E a fragilizá-lo politicamente.

3. Contudo, o mais chocante foi a forma como Passos Coelho defendeu o chefe das Secretas, Júlio Pereira: ao Primeiro-Ministro só faltou pedir desculpas a um dos homens mais incompetentes (e estou a ser benévolo na qualificação) deste país. Com a defesa de Júlio Pereira, Passos Coelho deu um "tiro na cabeça": é que - recorde-se! - Passos Coelho afirmou que as ocorrências nas secretas são censuráveis e deveriam ser objecto de averiguações. Ora, quem é que promoveu a personagem Jorge Silva Carvalho? Júlio Pereira. Quem é que liderou e foi conivente nos últimos anos com estas trapalhadas, os atentados sucessivos contra os direitos fundamentais de cidadãos acima de qualquer suspeita? Júlio Pereira. Quem é que sabia e fechou os olhos à passagem de informações para a Ongoing? Júlio Pereira. Não se pode afirmar que a conduta de Jorge Silva Carvalho é censurável e, ao mesmo tempo, defender Júlio Pereira: este último é o principal culpado de todas estas trapalhadas. A circunstância atenuante de Júlio Pereira passa por saber que o Chefe das Secretas é estruturalmente um homem fraco - logo, vulnerável a pressões empresariais e políticas. Não é a pessoa indicada para chefiar as Secretas. O problema é que para PS e PSD (principalmente, mas não só) convém ter alguém fraco na chefia dos serviços de informação.

Email:politicoesfera@gmail.com

Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
"!º MINISTRO BANANA"
É assim que se classifica este 1ºministro.Um banana que perdeu credibilidade ao proteger mafiosos.É assim que os políticos se tornam todos iguais,mentirosos,aldrabões...Por mim já não os aceito mais...
Continua tudo por esclarecer...

A classe política nunca foi credível, pode ter tido pessoas bem intencionadas, que erraram, mas nos últimos anos não sõ os erros que nos preocupam, são as manobras de inequívoca falta de honestidade, de governos que fazem do Estado a sua fonte de enriquecimento, que constroiem algo, à custa do muito que conseguem destruir .

A mentira,a incompetência, a irresponsabilidade, a senonestidade política, passou a ser um lema.

O parlamento não se faz respeitar porque ele próprio é composto por gente que não é respeitável.Não respeitam o povo que dizem representar, cultivam os seus direitos menosprezando, o tal povo que é tão lembrado, só no momento que lhes interessa o voto e o protagonismo.Sugam os nossos impostos para sustentar as suas próprias vaidades.

Fazem de conta que não estamos em plena crise Comportam-se como uma elite sem escrúpulos, onde os sacrificíos são explorados e lhes serve de bandeira.

Com uma classe, onde há tanta podridão,como se pode esclarecer aquilo q nós cidadãos, o tal povo sem cor, merecia q o fizessem!!!O parlamento tornou-se, há muito, uma feira de vaidades,um depósito de parasitas, um local de jogo sujo, onde cada vez mais o que parece é!
Tudo pago pelos mesmos q estão a a sofrer os sacrificíos, os trabalhadores eleitos, como responsáveis, para pagar a crise.
...
PM Abra esses olhos!
Um artigo muito elucidativo ... da mentira que no fundo tem perna curta ... Esta história ficou mal contada ...
My name is Carvalho, Silva Carvalho”... diz o espião, the fat spy... o tal!. tantas vez o vi na tv que na psicologia o perfilei...
O nº que lhe terá sido atribuído, ao que se julga...dizem os mais bem informados, secretamente, parece ser 009...
Ao contrário do outro, o 007, não se lhe conhecem aventuras e muito menos um “Q”... O nosso Agente 000 é de outro estilo. Escuta conversas, ameaça com murros virtuais no FaceBook, é forte 200x100x150, tem ligações políticas pouco recomendáveis... enfim... é um produto nosso, “made in Portugal”, tal como a bola de Lamego. Aparenta um ar pimpão, compõe um andar bamboleante e mostra um sorriso cínico-mauzinho... Um folgazão! Um espião “à nossa dimensão”... de opereta... Mas que ainda vai acabar ... quem sabe ... por fazer estragos. E não me surpreenderia que quando se “reformasse” das suas actividades secretas levasse consigo, ao colo, certo Ministros incluindo “maçons”...
Este país está a atravessar uma fase entre o patético e o divertido...termos esta saga lamentável das Secretas! Que fazer? Mas ... Eu penso que vem a seguir as cenas dos próximos capítulos...
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub