3
Anterior
A saga do medricas: Passos Coelho tem medo de Relvas!
Seguinte
Cavaco Silva: fica calado perante o escândalo
Página Inicial   >  Blogues  >  Politicoesfera  >   A mentira pornográfica de Passos Coelho

A mentira pornográfica de Passos Coelho

|

1. Vimos, ontem, aqui no POLITICOESFERA como Passos Coelho arrisca (e muito!) ao apoiar incondicionalmente Miguel Relvas nesta novela das secretas. Mas uma interpretação cuidada e uma análise meticulosa das palavras do Primeiro-Ministro revelam que o caso é ainda mais grave do que se julgava. Passos Coelho, no Parlamento (sede da democracia representativa), teve o topete de afirmar que não despede ministros com base em sms - e que deposita total confiança em Júlio Pereira, "patrão" dos espiões, chegando até a elogiar o seu trabalho na organização do trabalho das secretas. Com tais declarações, Passos Coelho não mentiu ao Parlamento. Pior, muito pior: Passos Coelho brincou com o Parlamento e, consequentemente, brincou com todos os portugueses. Vejamos porquê.

2. Em primeiro lugar, Passos Coelho sabe muito bem que o problema de Miguel Relvas não é receber sms's. Mesmo sendo de um personagem como Jorge Silva Carvalho. O problema de Miguel Relvas é que, não só protegeu, como se serviu de uma conduta deplorável e ilegal de Carvalho para aumentar o seu poder de pressão. Já todos percebemos que Miguel Relvas se sente incomodado ao explicar a sua relação com Jorge Silva Carvalho e foge a explicar a sua ligação informal aos senhores da Ongoing. Perante isto, Passos Coelho só dispunha de duas opções: (i) ou adiava as justificações para momento posterior ao apuramento dos factos (vamos acreditar que sim...) pela ERC; (ii) ou explicava, de forma clara e honesta, o envolvimento de Relvas no caso das secretas. Podia até admitir que Relvas foi cúmplice de Jorge Silva Carvalho, mas isso tinha sido no passado, estava muito arrependido - e o Primeiro-Ministro tem a firme convicção de que tal envolvimento de Relvas não é motivo suficiente para o afastar do Governo. Assim, falava verdade aos portugueses e não gozava connosco. Claro que tal decisão diria muito sobre Passos Coelho...e nós, portugueses, seríamos livres para julgar a sua decisão. Mas não: o Primeiro-Ministro tentou convencer-nos que o problema se resume a uma mensagem telefónica - o que significa, desde logo, que houve uma falta de comunicação no Governo ou uma desatenção gritante de Passos Coelho. É que Miguel Relvas já tinha admitido que se encontrara com Jorge Silva Carvalho: e já pertencia ao domínio público os negócios comuns de Miguel Relvas e Jorge Silva Carvalho, como a Visão desta semana muito bem explica. Logo, a explicação de Passos foi uma não explicação: foi uma tentativa falhada de minimização de danos políticos. O problema não é a mensagem: é o conteúdo da mensagem. E sobre esta, Passos Coelho não se pronunciou. Algo - grave!- está a incomodar o Primeiro-Ministro. E a fragilizá-lo politicamente.

3. Contudo, o mais chocante foi a forma como Passos Coelho defendeu o chefe das Secretas, Júlio Pereira: ao Primeiro-Ministro só faltou pedir desculpas a um dos homens mais incompetentes (e estou a ser benévolo na qualificação) deste país. Com a defesa de Júlio Pereira, Passos Coelho deu um "tiro na cabeça": é que - recorde-se! - Passos Coelho afirmou que as ocorrências nas secretas são censuráveis e deveriam ser objecto de averiguações. Ora, quem é que promoveu a personagem Jorge Silva Carvalho? Júlio Pereira. Quem é que liderou e foi conivente nos últimos anos com estas trapalhadas, os atentados sucessivos contra os direitos fundamentais de cidadãos acima de qualquer suspeita? Júlio Pereira. Quem é que sabia e fechou os olhos à passagem de informações para a Ongoing? Júlio Pereira. Não se pode afirmar que a conduta de Jorge Silva Carvalho é censurável e, ao mesmo tempo, defender Júlio Pereira: este último é o principal culpado de todas estas trapalhadas. A circunstância atenuante de Júlio Pereira passa por saber que o Chefe das Secretas é estruturalmente um homem fraco - logo, vulnerável a pressões empresariais e políticas. Não é a pessoa indicada para chefiar as Secretas. O problema é que para PS e PSD (principalmente, mas não só) convém ter alguém fraco na chefia dos serviços de informação.

Email:politicoesfera@gmail.com


Opinião


Multimédia

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados
"!º MINISTRO BANANA"
É assim que se classifica este 1ºministro.Um banana que perdeu credibilidade ao proteger mafiosos.É assim que os políticos se tornam todos iguais,mentirosos,aldrabões...Por mim já não os aceito mais...
Continua tudo por esclarecer...

A classe política nunca foi credível, pode ter tido pessoas bem intencionadas, que erraram, mas nos últimos anos não sõ os erros que nos preocupam, são as manobras de inequívoca falta de honestidade, de governos que fazem do Estado a sua fonte de enriquecimento, que constroiem algo, à custa do muito que conseguem destruir .

A mentira,a incompetência, a irresponsabilidade, a senonestidade política, passou a ser um lema.

O parlamento não se faz respeitar porque ele próprio é composto por gente que não é respeitável.Não respeitam o povo que dizem representar, cultivam os seus direitos menosprezando, o tal povo que é tão lembrado, só no momento que lhes interessa o voto e o protagonismo.Sugam os nossos impostos para sustentar as suas próprias vaidades.

Fazem de conta que não estamos em plena crise Comportam-se como uma elite sem escrúpulos, onde os sacrificíos são explorados e lhes serve de bandeira.

Com uma classe, onde há tanta podridão,como se pode esclarecer aquilo q nós cidadãos, o tal povo sem cor, merecia q o fizessem!!!O parlamento tornou-se, há muito, uma feira de vaidades,um depósito de parasitas, um local de jogo sujo, onde cada vez mais o que parece é!
Tudo pago pelos mesmos q estão a a sofrer os sacrificíos, os trabalhadores eleitos, como responsáveis, para pagar a crise.
...
PM Abra esses olhos!
Um artigo muito elucidativo ... da mentira que no fundo tem perna curta ... Esta história ficou mal contada ...
My name is Carvalho, Silva Carvalho”... diz o espião, the fat spy... o tal!. tantas vez o vi na tv que na psicologia o perfilei...
O nº que lhe terá sido atribuído, ao que se julga...dizem os mais bem informados, secretamente, parece ser 009...
Ao contrário do outro, o 007, não se lhe conhecem aventuras e muito menos um “Q”... O nosso Agente 000 é de outro estilo. Escuta conversas, ameaça com murros virtuais no FaceBook, é forte 200x100x150, tem ligações políticas pouco recomendáveis... enfim... é um produto nosso, “made in Portugal”, tal como a bola de Lamego. Aparenta um ar pimpão, compõe um andar bamboleante e mostra um sorriso cínico-mauzinho... Um folgazão! Um espião “à nossa dimensão”... de opereta... Mas que ainda vai acabar ... quem sabe ... por fazer estragos. E não me surpreenderia que quando se “reformasse” das suas actividades secretas levasse consigo, ao colo, certo Ministros incluindo “maçons”...
Este país está a atravessar uma fase entre o patético e o divertido...termos esta saga lamentável das Secretas! Que fazer? Mas ... Eu penso que vem a seguir as cenas dos próximos capítulos...
Comentários 3 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub