89
Anterior
"Vai dormir, f*da-se" vai ser lançado em Portugal
Seguinte
Os 50 livros mais vendidos nos últimos cinco anos
Página Inicial   >  Cultura  >  Livros  >   50 livros que toda a gente deve ler

50 livros que toda a gente deve ler

Meia centena de obras literárias e ensaísticas essenciais, para ler na mítica ilha deserta, escolhidas por Ana Cristina Leonardo, Clara Ferreira Alves, Henrique Monteiro, José Mário Silva, Luísa Mellid-Franco e Pedro Mexia.
|

Não há listas perfeitas. Escolher 50 livros (ou 100) implica sempre deixar de fora muitas obras igualmente importantes - ou até mais importantes - que poderiam com toda a justiça estar no lugar destas. Conscientes de que é impossível agradar a gregos e a troianos, pretendemos fazer uma seleção equilibrada, com natural predomínio dos clássicos (essas obras que já passaram o crivo do tempo e entraram no cânone), mas também com algumas apostas pessoais dos colaboradores, escolhas talvez menos óbvias e que esperamos possam corresponder a surpresas e descobertas.

Estes 50 títulos foram fixados após um processo de sobreposição de várias listas. A ordem em que aparecem não reflete qualquer juízo de valor comparativo. E uma coisa é certa: mais ou menos consensuais, todos os livros sugeridos têm uma qualidade literária acima de qualquer suspeita.

Texto publicado na revista Atual de 18 de agosto de 2012


Veja a fotogaleria:

Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 89 Comentar
ordenar por:
mais votados
É bastante positivo a divulgação e promoção de
livros, mas com uma ausência de uma politica cultural no País onde até acabaram com o respectivo Ministério pouco resultará. Mas é louvável a iniciativa do Expresso.
Re: É bastante positivo a divulgação e promoção de
Muito imperfeita, esta lista
Nãoestá há listas perfeitas e esta lista está longe de ser perfeita. Tem Platão e Perec.. menos mal.. mas falta-lhe Aristóteles (a Ética a Nicómaco e a Política parecem-me obrigatórias). Em cntrapartida tem umas surpresas. Há aqui vários desperdícios de papel que não incluiria numa lista de 500 livros.. quanto mais numa de 50. Faltam textos filosóficos fundadores como O Discurso do Método Ou a Crítica da Razão Pura. Falta David Hume. Faltam textos sociológicos essenciais a qualquer ser pensante do nosso tempo: La Distinction, de Pierre Bourdieu e La Société de Consommation de Jean Baudrillard. Toda a gente fala da «sociedade de consumo».. mas ninguém leu.

Se não há listas universalmente perfeitas e se a forma segue a função, então que significado tem «Madame Bovary» e outros títulos zeróticos? Falta O Amante da Lady Shatterley, La Femme de 30 Ans e e o Diário de Anais Nin. Já agora podiam assumir-se e recomendar Sade e um par de algemas.

Uma educação emocional diferente passaria por Jane Austen, todos, Geart Expectations, de Charles Dickens, Judas, O Obscuro e A Pair of Blue Eyes. Como diz o autor do artigo, não há listas perfeitas. Falta dizer que «a lista segue a função».

Faltam Germinal, de Émile Zola, incontornável para perceber porque é que mineiros morrem na África do Sul em 2012 e Os Esteiros, de Soereiro Pereira Gomes, incontornável para perceber o que pretende Manuela Ferreira Leite quando iz «mudar de via».
Re: Muito imperfeita, esta lista
Re: Listas são imperfeitas necessariamente
Re: Muito imperfeita, esta lista
O efeito desta lista é apenas
como um guia dentre tantos outros. Leio por intuição, nunca por modismo; leio para aprender, nunca para demonstrar saber muito; leio pelo fato de saber pouco e, quanto mais leio, mais certeza é de que ainda sei menos. Há muitos autores importantes, tantos que a lista seria enorme. Mas, em contrapartida, há eunucos de conhecimento que só sabem pensar numa forma de enriquecer os bolsos, à custa da tolice alheia. Penso que há um grande mar de mediocridade entre os muitos escritores disponíveis num livreiro. Por isso, às vezes, como no caso presente, sequer dei-me o trabalho de conferir a tal lista, pois é uma moda do tipo "as cem coisas que devo fazer antes de morrer" ... Conselhos que não passam de armadilhas para o consumo frívolo. Rio Grande
50 livros que toda a gente deve ler
Não seria a minha lista(não se pode agradar a gregos e troianos como diz o artigo), no entanto, engloba autores bastante interessantes... além disso, faz uma boa síntese dos primórdios da literatura ate à actualidade.
Re: 50 livros que toda a gente deve ler
Re: 50 livros que toda a gente deve ler
A maravilha da variedade
Se mil pessoas fizessem a sua lista dos 50 livros fundamentais, teríamos mil listas diferentes... Não vale a pena - será uma arrogância de quem se acha dono da verdade - estar a dizer que falta este livro o aquele está a mais; felizmente há muito por onde escolher e o que é maravilhoso é que haja tantas opções.
Re: A maravilha... e o embaraço
Uma carta a Garcia
"Eis aí um homem cujo busto merecia ser fundido em bronze e sua estátua colocada em cada escola. Não é só de sabedoria que a juventude precisa... Nem de instruções sobre isto ou aquilo."
(Elbert Hulbard - Uma carta a Garcia, 1899)

"Rowan foi trazido à presença do Presidente, que lhe confiou uma carta com a incumbência de entregá-la a Garcia. Não vêm ao caso narrar aqui como esse homem tomou a carta, guardou-a num invólucro impermeável, amarrou a ao peito e, após quatro dias, saltou de um pequeno barco, alta noite, nas costas de Cuba; ou como se embrenhou no sertão para, depois de três semanas, surgir do outro lado da ilha, tendo atravessado a pé um país hostil, e entregue a carta a Garcia. O ponto que desejo frisar é este: Mac Kinley deu a Rowan uma carta destinada a Garcia; Rowan tomou-a e nem sequer perguntou: -Onde é que ele está?."

...provavelmente o livro mais vendido no mundo
Re: Uma carta a Garcia
Re: Uma carta a Garcia
Re: Uma carta a Garcia
Re: Uma carta a Garcia
Re: Uma carta a Garcia
Escolhas discutíveis
Falta Aristóteles, "o mais sábio de todos os homens".
Falta Tomás de Aquino por causa do problema ontológico.
Virgínia Wolf, "As ondas"? Só para a elegia do niilismo, do desespero, da solidão.
E o cretino Voltaire?
Antes "A Ortodoxia" de Chesterton.
Mas nestas coisas, cada um escolhe o que mais gosta de ler, pois qualidade existe em todos os quadrantes, ateus ou religiosos, ideológicos, artísticos ou científicos.
Vale pela divulgação da leitura, no país de "A Bola", nada mais...
Re: Cretinismos...
Voltaire
Re: Cretinismos...
Re: Cretinismos...
Re: Cretinismos...
Re: Cretinismos...
Re: Cretinismos...
Re: Cretinismos e equívocos...
Significado de cretino
Re: Significado de cretino
Re: " O portuguêis é difinido por vocêi, crêtino"
Re: Devolvo-lhe o cumprimento
Re: Por quem é! Nada a devolver!
Re: Cretinismos...
Re: Cretinismos...e má-fé!
Re: Cretinismos...e má-fé!
Re: Cretinismos...e má-fé!
Escolhas discutíveis
Re: Para acabar, se possível!
Re: 2- Não foi possível acabar...
Re: 3 - Por este andar...
Re: Cretinismos...e má-fé!
Re: 4- Ufa!
William Shakespeare
Re: Novos episódios desta telenovela?
Re:2 - Novos episódios desta telenovela?
Re: Re:3 - Novos episódios desta telenovela?
Shakespeare
Re: 4 - ùltimo episódio ( I hope!)
Shakespeare e Voltaire
Re: Estas questões são suas, n/ minhas!
Re: 4- Ufa!
Escolhas discutíveis III
Escolhas discutíveis IV
Re: Escolhas discutíveis
Re: Escolhas discutíveis
gosto principalmente de uma capa...
o do livro A Divina Comédia.... em que o maior destaque não vai para o autor do mesmo, Dante Alighieri, mas para o nome do tradutor da edição portuguesa, Vasco Graça Moura.
Se a moda pega... :-(
Vaidades deste cantinho semi-europeu...
Re: gosto principalmente de uma capa...
Re: gosto principalmente de uma capa...
Re: Anedota confrangedora
pois
Não estar nenhum livro do Nietzsche é um pouco grave. Mas no geral gostei bastante da lista.
Cada um com a sua lista
Gostos literários não se discutem, ou melhor podem-se discutir mas nunca se chega a acordo.

Tanta lista de 50 que se podia fazer.

Ia tudo muito bem até chegar ao Ulisses. O livro mais chato com X maiúsculo, que me lembro de ler. Ou talvez estivesse com o periodo nessa semana :p . Antes o Idiota, outro livro chato. Ou as Memórias de Adriano.

E o Senhor dos Anéis ? Se estamos a varrer estilos... ou um Umberto Eco, o Pêndulo de Foucault.

Está lá o 1984 .. e que tal o Admirável Mundo Novo ? Para mim Huxley bate Orwell.

O Ano da Morte de Ricardo Reis ? Discordo. Trocava pelo Memorial do Convento. Muito me ri com esse livro.

Zola falta ! D H Lawrence falta.

E quanto a controvérsias, vai os versículos do Rushdie ? Ou se não queremos problemas com o Islão, então pelo menos um exemplo da literatura árabe impunha-se. Eu ia pelo Mahfouz e a sua Trilogia do Cairo.

E aventuras ? Nem um Julio Verne ? Uma Ilha Misteriosa ? Os 80 dias com Phileas Fogg , tem de ser ! Ou umas 20 mil léguas, são imperdíveis. Eu li uns 80, até escolhia outro dele, mas seria desconhecido para 99%.
snif snif snif
A triste verdade da mortalidade é q vc pode viver mil anos q nem assim conseguirá ter tempo para ler nem os principais títulos, uma vida só é pouco mas pelo menos as de alguns tem rendido muitos livros muito bons
Possa!!! E Luís Vaz de???
Possa!!! E Luís Vaz de???
Camões !!! E o melhor romance português de todos os tempos Menina e Moça de Bernardim Ribeiro !!!
  A LÍRICA e Os Lusíadas de Luís Vaz de...

Está tudo caótico!
Livros as esquecer
Ora, eis uma verdadeira lista de livros a esquecer. Chega a ser notável como é possível que ainda haja quem sugira este tipo de livros senão por mero pretensiosismo de conhecimento de meia dúzia de obras, que só estão na memória colectiva precisamente através de listagens destas.
Livro a evitar, aborrecidos, perdidos num contexto temporal que só a moda e a teimosia de alguns insistiu em preservar, tematicamente estéreis com enredos e personagens com quem já ninguém se identifica.
Só quem não tenha paixão pela literatura, se pode dar ao luxo de perder tempo com autores como estes em detrimento de magníficos autores contemporâneos , ou de outros clássicos como william Faukner, Eveliyn Waugh ou Sandor Marai.
Re: Livros as esquecer
Re: Livros as esquecer
Re: Livros as esquecer
Escritores de lingua portuguêsa
Todas as listas de melhores livros são sempre discutiveis , mas uma lista feita por portuguêses deveria incluir mais escritores de lingua portuguêsa , dou só 2 exªs, Ferreira de Castro poderia sem dúvida ser e Jorge Amado com , n-ao ficariam nada mal, penso eu.
Comentários 89 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub