Anterior
CGTP: milhares protestam contra a pobreza
Seguinte
Jerónimo de Sousa: "É preciso recuar 32 anos para assistir a uma coisa ...
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   300 mil manifestaram-se em Lisboa contra pobreza

300 mil manifestaram-se em Lisboa contra pobreza

A CGTP juntou em Lisboa mais de 300 mil pessoas contra a pobreza e a austeridade. "Vamos fazer do Terreiro do Paço o Terreiro do Povo", foi o lema dado pela central sindical.
Lusa |

Mais de 300 mil pessoas de todo o país juntaram-se hoje no Terreiro do Paço, em Lisboa, contra as desigualdades e o empobrecimento, disse hoje Arménio Carlos.

Os números foram avançados pelo secretário-geral da Confederação Geral de Trabalhadores Portugueses (CGTP,) na abertura do discurso que marcou o fecho da manifestação, que com 300 mil trabalhadores foi "a maior manifestação jamais vista em Lisboa nos últimos 30 anos", de acordo com o sindicalista.

Pouco antes da intervenção, Arménio Carlos aproveitava o espaço debaixo do camião que servia de palco (e que no momento era ocupado por músicos que animavam os manifestantes) para, acocorado, rever o discurso.

A Intersindical marcou esta manifestação no início do ano com o lema "Vamos fazer do Terreiro do Paço o Terreiro do Povo".


Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 204 Comentar
ordenar por:
mais votados
300 mil? - E se fossem 500 mil ????
300 mil !!!!!!!!!!!

Na Grécia eles reúnem-se aos milhares e milhares,
eles fazem greves-gerais atrás de greves-gerais,
e o que é que resolveram?

Bom, ficaram mais pobres! Cada vez mais pobres!

É esse o objectivo dos sindicalistas?

É esse o objectivo da CGTP?

Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Desculpe meu caro Carlos-Carlos. Você tem uma
Re: Desculpe meu caro Carlos-Carlos. Você tem uma
Re: Desculpe meu caro Carlos-Carlos. Você tem uma
Re: Desculpe meu caro Carlos-Carlos. Você tem uma
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Essa é tão baixa...
Re: Essa é tão baixa...
Re: Essa é tão baixa...
Re: Essa é tão baixa...
Re: Essa é tão baixa...
Re: Essa é tão baixa...
Não, carlinhos tonto!
Re: Não, carlinhos tonto!
Re: Tonteria
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
É para rir?
Re: É para rir?
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Re: 300 mil? - E se fossem 500 mil ????
Vómito da Demagogia
Esta manifestação serve para o novo secretário-geral se mostrar. Mais nada!!!
Serve assim para o vómito da demagogia. Ninguém apresenta soluções, apenas dizem que esta não é a solução.
E andamos nisto entretidos com queixas e mais queixas... e depois reciclamos a mesmas queixas e arranjamos novas queixas.
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Ninguém bate a manipulação e demagogia do
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
Re: Vómito da Demagogia
300 mil??????
O Santuário de Fátima já reconheceu que no seu recinto não cabem mais de 240 a 250 mil, como é que na “minúscula” Praça do Comércio cabem 300 mil, ou será que a crise já nos fez emagrecer de tal maneira que passámos a caber no Terreiro do Paço?
Senhores jornalistas e sindicalistas arrisquem e falem de verdadeiro números revolucionários UM MILHÃO de portugueses na Praça do Comércio, isso sim, é um número impressivo e esmagador, 300 mil são miúdos! E aí sim veríamos os olhos de Jerónimo de Sousa saírem-lhe pelas órbitas e o governo cairia submisso e a Troika já nem viria para a semana.
Viva a mentira!
Viva a hipocrisia!
Viva as forças comunistas salazarentas, pobrezinhos, mas honrados!
Re: 300 mil??????
Re: 300 mil??????
15 pessoas por metro quadrado
O terreiro do Paço tem 35500 m2 brutos e aproveitaveis para parqueamento de pessoas cerca de 20000 m2.
O que se assistiu no Terreiro do Paço foi um verdadeiro milagre.
Re: 15 pessoas por metro quadrado
Re: 15 pessoas por metro quadrado
Re: 15 pessoas por metro quadrado
Re: 15 pessoas por metro quadrado
Re: 15 pessoas por metro quadrado
Pelos vistos ainda há quem não fique em casa
há espera que os outros lutem pelos seus direitos...
Um bem haja a todos os que estiveram por lá - cá de longe estive convosco
Boa imprensa
O PCP e as suas organizações satélites, continuam a ter boa imprensa, são bem tratados pelos repórteres e hoje tiveram um dia feliz.
  Ninguém contestou a fantasia dos 300 mil nem da maior manifestação em 32 anos, ninguém lhes perguntou o que pretendem obter com estes ajuntamentos, ninguém lhes perguntou se acreditam no derrube de governos eleitos, com maioria parlamentar estável, por via de passeatas pagas a Lisboa, a muita gente que, doutra maneira não tinham dinheiro para a viagem.

Lembro-me de uma manifestação salazarista,no Terreiro do Paço. em que também vinha o pessoal em camionetas, com o respectivo farnel .

Curiosamente a qualidade do nosso jornalismo deixa muito a desejar e nenhum procurou descortinar a verdadeira razão para a manifestação.

Esta manifestação foi organizada para mostrar quem manda nas massas, para cortar veleidades de autonomia sindical e para vincar que quem manda é o PCP, com os seus funcionários ostensivamente no comando.

É também uma lição para o Carvalho da Silva e alguns sindicalistas não comunistas que andam por ali, para lhes dizer que não fazem lá falta nenhuma.
Re: Boa imprensa
Não consigo entender os comentários aqui
postados. Se não há manifestação, é em razão de serem os portugueses uns agachados. Se fazem manifestação, mentem sobre o número de presentes, são comunistas de carteirinha, um bando provável de desordeiros e, por fim, que a atitude em nada contribui para tirar Portugal da cola da Grécia. Provavelmente nunca vou entender a ambiguidade dos residentes em Portugal, posto que dos muitos no mundo exterior e, principalmente no Brasil, consigo compreender a começar por meu próprio pai, um velhinho de 87 anos que está findando seus dias em Fortaleza, depois de uma longa vida de trabalho, de muitos recomeços e pouca lamúria. Sempre lutou por suas coisas, por sua comunidade de trabalho e quando insatisfeito, não teve medo de revolucionar. Nunca ganhou nada de graça. Sempre acreditou na união, na união que faz a diferença, que carrega a força e afasta o pessimismo. Ele sempre prega que ao trabalhador só há o caminho da união, a única fortuna que pode enfrentar a riqueza dos donos do capital. Rio Grande
Re: Não consigo entender os comentários aqui
Re: Não consigo entender os comentários aqui
Pois
Não se cansem!... Trezentos mil ou cento e cinquenta mil, é quase indiferente. Eu, que estive lá, nunca vi em Lisboa uma manifestação deste tamanho. E à medida que as as políticas imbecis destes governantes forem produzindo os seus inevitáveis resultados, o número de manifestantes irá aumentando, até que bastará que todos soprem ao mesmo tempo, na mesma direcção, para varrer estes imbecis para bem longe de nós.
Re: Pois
Re: Pois
Re: Totó
Re: Totó
Re: Pois
Re: Pois
Re: Pois
    Re: Pois []   Fechar Fechar
(fimdalinha (seguir utilizador), 1 ponto , 9:52 | Segunda feira, 13 de fevereiro de 2012)
então qd se acabar o dinheiro para ordenados e pensões como vão viver os nossos pobres politicos"idosos" sem a reforma míseravel que lhes pagam que mal dá para as despesas ? e será que ainda haverá dinheiro para pagar aos "génios" da gestão que estão á frente da maioria das empresa publicas ? Lá vamos perder mais cerebros que vão fugir para países que há muito cobiçam as suas cabeças... e esses cerebros apenas estão cá por uma questão de patriotismo...
 
 
Parabens a todos os portugueses que lutam
para mudar esta situação, porque a história não chegou ao fim como muitos queriam. A Historia nos ensina que sempre houve periodos negros e outros de regeneração...
O Benfica é maior que a CGTP
Se estavam 300 mil no Terreiro do Paço estimo que houvesse uns 500 mil benfiquistas na Luz. Pelo menos.
......................................
E não há nenhum orgão de informação que ridicularize as afirmações do sr. Arménio?
Há uns tempos atrás lembro-me de ter
visto um jovem empreendedor na televisão dizer uma coisa na qual eu acredito. Dizia ele; há dois tipos de pessoas, as que choram e as que lhe vendem lenços. Tenho a certeza que ele esteve na manif a vender bifanas!

É que uma coisa é certo, estas manifestações ao fim de semana fazem mexer a economia, são os transportes, as gráficas, a restauração, os palcos, som, as bandeiras, os megafones, enfim, é um sem número de pequenas empresas que beneficiam com estas coisas.

O governo e os empresários do turismo deviam pensar seriamente em investir na atracção deste tipo de turismo, quiçá até importar umas manifs do estrangeiro, e criar uns pacotes que incluíssem voo, estadia, cartazes, bifanas, um megafone e um lenço encarnado, e com a garantia de que por cá não há porrada da polícia de choque, gás lacrimogéneo, prisões etc.

Há os que vêm a luz ao fundo do túnel e andam para a frente em passo acelerado, e os que estão tão convencidos que a luz é um comboio em sentido contrário, que começam a correr para trás!
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
Re: Há uns tempos atrás lembro-me de ter
O facho passos não fica muito incomodado
E felizmente as tvs não têm imagens de violência para exibir mundo fora, para os juros subirem outra vez.

Isto não é de manifs.
É nas urnas, onde ver os trabalhadores votarem maoritariamente em quem lhes retira todos os direitos é algo entre triste e patético.
E é nos anonymos, que eu peço que obtenham e divulguem os núemros de toda a pouca vergonha dos jobs e do despesismo do estado/governo e da venda a desbarato e em troca de tachosd e 45000€ de tudo o que valha alguam coisa ( o activo melhor são os monopólios de água luz e energia, não há como fugir)
300 Mil????
Os números avançados pela CGTP devem estar muito inflacionados, 300 mil é impossível perante as imagens que foram transmitidas nas TVs.

Alías nem chegará aos 100 mil, quanto mais 300 Mil!!!

Fala-se em centenas de Camionetas, eram necessárias vários milhares para meter 300 mil pessoas em lisboa e mesmo considerando que muitos tenham vindo pelos seus meios de transporte...

A demagogia deste novo secretário Geral é notável, Comuna ortodoxo que só quer mais direitos e regalias, esquecendo-se de explicar que para isso é necessário um país com riqueza que sustente todos esses direitos...

UM POUCO MAIS DE RIGOR...
"Mais de 300 mil pessoas de todo o país juntaram-se hoje no Terreiro do Paço, em Lisboa", diz a CGTP. Sem querer minimizar a importância desta jornada de luta, sria bom algum rigor quando falamos de números.
A Praça do Comércio tem uma configuração quase quadrada, com 180 m X 190 m - confirmem no Google; ou seja, cerca de 34.200 m2, o que significaria uma densidade de aproximadamente 9 pessoas/ m2, caso o número de manifestantes na Praça fossem os 300.000 indicados pela CGTP.
Ora quem conheça a forma como as pessoas se distribuem ao longo de uma concentração de massas, facilmente perceberá que a densidade indicada será impossivel de atingir...por outras palavras, na Praça do Comércio terão estado metade das pessoas indicadas, ou seja 150 mil pessoas, com uma densidade aproximada de 5 pessoas/m2.
Para os apologistas da submissão do povo
"Cá entre nós, a servidão, de preferência sorridente, é pois inevitável. Mas não o devemos reconhecer. Quem não pode fugir a ter escravos, não valerá mais que os chame homens livres? Por princípio, em primeiro lugar, e depois para os não desesperar. É-lhes bem devida esta compensação, não acha? Deste modo eles continuarão a sorrir e nós manter-nos-emos de consciência tranquila. Sem o que, seríamos forçados a voltar-nos para nós mesmos, ficaríamos loucos de dor, ou até modestos, tudo é de temer".

Albert Camus, A Queda, do site Citador.
Comentários 204 Comentar

Últimas

Ver mais

Pub