Anterior
Irão pede à Interpol detenção de Olmert
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Conflito Israel – Palestina  >   Faixa de Gaza: €3561 milhões para ajudar reconstrução

Faixa de Gaza: €3561 milhões para ajudar reconstrução

Diversos doadores internacionais prometeram hoje um total de 4,48 mil milhões de dólares para a reconstrução da Faixa de Gaza.
|
A última ofensiva israelita em Gaza provocou avultados estragos nas infraestruturas do território palestiniano
A última ofensiva israelita em Gaza provocou avultados estragos nas infraestruturas do território palestiniano / Ali Ali/EPA

O encontro em Charm el-Cheick foi positivo. Só os Estadis Unidos vão disponibilizar 900 milhões  de dólares (709 milhões de euros) para a reconstrução da Faixa de Gaza, mas a secretária de Estado Hillary Clinton condiciona a ajuda ao processo de paz.  

Países do Golfo Pérsico, EUA e a União Europeia figuram entre os principais doadores. A Espanha contribuirá com 180 milhões de euros, dos quais 90 milhões irão para a reconstrução da Faixa e o restante para ser aplicado pela Autoridade Palestiniana, entre outras coisas, no pagamento de salários aos seus funcionários em Gaza.  

Mais de 70 países enviaram representantes ao encontro de hoje em Charm el-Cheikh. Entre os quais o Brasil, que se comprometeu a doar 10 milhões de dólares para ajuda humanitária e reconstrução da zona que foi, recentemente, palco de violentos confrontos com o exército israelita.

O chefe da diplomacia egípcia Ahmed Aboul Gheit diz que o número está "além das expectativas" e acrescenta que alguns países recuperaram verbas que tinham prometido anteriormente mas nunca tinham chegado a entregar, o que elevou o total a 5,2 mil milhões de dólares (4,1 mil milhões de euros).  Aboul Gheit precisa que a ajuda vai ser disponibilizada ao longo de um período de dois anos. 

O ministro do Planeamento palestiniano, Samir Abdullah, refere que as verbas prometidas são destinada à ajuda humanitária e à reconstrução da Faixa de Gaza, assim como ao reforço do orçamento da Autoridade Palestiniana. No entanto, Abdullah diz não estar em condições de indicar quanto vai para o quê. 

O comunicado final da reunião, lido em conferência de imprensa pelo ministro egípcio, apela para a reabertura das fronteiras da Faixa de Gaza, bloqueadas desde que o Hamas tomou o controlo deste território em Junho de 2007. 

O texto também pede aos diferentes grupos palestinianos que intensifiquem os esforços para uma reconciliação e sublinha a necessidade de um cessar-fogo prolongado que substitua a frágil trégua em vigor desde 18 de Janeiro. 

A conferência de Charm el-Cheikh foi convocada para ajudar os palestinianos a reconstruírem Gaza depois da ofensiva militar israelita, que entre 27 de Dezembro e 18 de Janeiro fez cerca de 1.400 mortos e avultados estragos nas infra-estruturas do território.   


Opinião


Multimédia

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
Israelitas estragam; americanos e europeus pagam!!
Esta é a politica do século XX e XXI!
É pena é que não pague o Bush, o Aznar, o Barroso e o Blair.
Uns constroem outros destroem
As injustiças que vemos faz chorar as pedras da calçada, uns fanaticos terroristas contribuem p/ a destruiçao dum pseudo Pais (faixa de gaza), contribuem para a morte do seu povo e depois entram em cena os apziguadores abutres que contribuem com o negocio do armamento, retiram uma parte do bolo e ajudam a construir aquilo que directa ou indirectamente ajudaram a destruir, mas e as vidas dos inocentes que nao ha dinheiro que pague, que construam antes de destruir, que ajudem quem precisa sem antes os magoar, tantas altas individualidades reunidas neste mundo e nada fazem em prol da humanidade.
Continua a compensar...para alguns!e para nós??
Os EUA como principal fornecedor de armas a Israel á Europa ocidental e aos países mais ricos do Golfo pode pagar os tais 900 milhões de dólares que ainda lhes sobra uns trocos.
Para quem em 2007 aprovou um pacote de ajuda financeira de cerca de 30 mil milhões de usd a Israel a atribuir ao longo de 10 anos os tais 900 de indenização é para rir.
Só a venda de mísseis Patriot aos Emirados Árabes Unidos e ao Kuwait,(guerra do golfo) rendeu aos EUA cerca de 20 mil milhões de usd.
Como é sabido o armamento está constantemente a ser actualizado ou substituído por versões mais modernas também as munições têm de ser substituídas ou gastas visto que o seu prazo de validade em alguns casos não ultrapassa os 10 anos.
´Posto isto facilmente se verifica que os EUA vão continuar a ganhar biliões á custa da guerra.

Nós por cá também vamos pagar a factura e não bufar....isto se quisermos continuar a ter as sobras militares dos Americanos a preços módicos.

Viva a caridade
Umas guerrazitas fazem-se sempre geito aos poderosos. Primeiro mata-se. Depois ofertam-se as esmolas - com lágrimas, sorrisos e abraços - de reconstrução.
Viva a caridade!
Comentários 4 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub