Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Economia

    Joana Nunes Mateus

    É uma das novidades do Orçamento do Estado para 2017. A direção-geral do Orçamento já está a analisar as propostas de mais de 500 serviços para cortar na despesa que o secretário de Estado do Orçamento, João Leão, num gesto inédito, exigiu a cada um dos serviços da administração central. Só aqueles que apresentarem cortes a sério serão a sério levados se apresentarem propostas de novos projetos

  • O coração de Itália desabou

    Diário

    Fábio Monteiro e Joana Azevedo Viana

    Passava pouco das 3h30 da manhã, 2h30 em Lisboa, quando a terra tremeu pela primeira vez no centro de Itália, província de Perugia. Ao sismo de 6,2 graus de magnitude na escala de Richter seguiu-se mais de uma centena de réplicas ao longo do dia, algumas com 5,5 graus na mesma escala. Pelo menos 120 pessoas perderam a vida e centenas ficaram feridas nas quatro cidades mais afetadas pelo abalo, na cordilheira dos Apeninos, no coração do país. Mas como em quase todos os desastres, o balanço deverá ser superior e só será possível chegar a ele à medida que as operações de resgate forem sendo concluídas

  • Vale a pena esperar quatro anos para ouvir uma cousa destas

    Diário

    Mariana Lima Cunha

    Passaram-se quatro longos anos desde a estreia de Frank Ocean – longos para os fãs, cuja impaciência ameaçava tornar-se incontrolável, e para ele, que teve tempo de construir duas versões do mesmo disco, um álbum visual, um videoclip e muita poesia. “Blonde” é um presente dele para nós (“Cantar estas músicas é terapêutico e eles pagam-me, mãe/ Eu é que devia pagar-vos, sinceramente”), envolto em muito mistério e num lançamento que parecia nunca mais acabar, para no final ficar apenas o que interessa: a música (e aquelas letras sobre o amor e o tempo, e aquela voz tantas vezes sozinha porque não precisa de acompanhamento). Ocean chamou a tropa de elite da indústria – nos créditos estão os nomes de Beyoncé, Kendrick Lamar, Andre 3000, Kanye West, Jamie XX, David Bowie ou James Blake – para compensar uma ausência demasiado longa. Este é um dos acontecimentos do ano - e o álbum é incrível

  • Chocante, irreverente, controverso, polémico: D’Agata, o fotógrafo maldito

    Diário

    Alexandra Carita

    Sexo, prostituição, heroína, ice, violência, mutilação, automutilação, vítima, morte, sangue, destruição. Substantivos capazes de descrever o trabalho daquele que é talvez o mais controverso fotógrafo francês. Antoine d’Agata vai ter a sua primeira exposição comercial em Lisboa. Chama-se “The Long Night” e estará patente na galeria Barbado de 15 de setembro a 9 de novembro