Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Vítor Matos

    Anestesiou o PCP, o Bloco, mas agora também o PS, como se viu no congresso da Batalha. Pedro Nuno marcou, mas o líder fez saber que o anúncio da sua reforma é prematuro. Costa só vai destrunfar a sério antes das eleições. A análise do editor de Política do Expresso ao Congresso do PS

  • Caso Siza Vieira: “Podem tirar o cavalinho da chuva”, Costa tem uma “oposição meiguinha”

    Expresso

    Marques Mendes acha “estranho” e “pouco transparente” que o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, se tenha envolvido em reuniões da EDP. Mas ironiza, dizendo que António Costa é “muito amigo do seu amigo”. A sorte de Costa, diz, é “ter uma oposição meiguinha” neste caso, em que o Tribunal Constitucional não agirá. Sobre o congresso dos socialistas, o comentador proclama: "O PS está transformado no partido mais pragmático que há em Portugal"

  • João Diogo Correia e Carlos Esteves

    Em 31 anos, o Erasmus já levou mais de 9 milhões de estudantes a circular pela Europa, a que aprenderam a chamar casa. Pelo meio cresceu, transformou-se, alargou-se a várias idades e contextos, e tem planos para continuar. Mais do que um programa, “o Erasmus é uma atitude”

  • Itália: Não há governo. Haverá eleições? Já se fala em “impeachment”

    Cristina Margato

    O presidente da República, Sergio Mattarella, não conseguiu formar Governo. Savona, proposto para ministro das Finanças foi recusado. “Era demasiado eurocéptico”. Itália pode ter de voltar a eleições, 12 semanas depois e 84 dias depois da última consulta democrática. A decisão, diz Mattarella será tomada nas próximas horas. Líder do Movimento Cinco Estrelas já fala em “impeachment” de Mattarella, adianta o jornal “Corriere della Sera”. Está aberta a crise institucional

  • Aquilino de volta no jogo do varapau

    Henrique Monteiro

    Na véspera de chegar às livrarias uma reedição de “O Malhadinhas”, considerado o ex-libris de Aquilino Ribeiro, publicamos um texto com um cunho muito pessoal no qual se explica como surgiu essa obra, quem era “O Malhadinhas” - figura que existiu mesmo - e como foi a vida do autor, um escritor que hoje seria zurzido pelos guardiães do politicamente correto. Um texto que mostra ainda aos que dizem que Aquilino é difícil de ler que o difícil é deixar de o ler